Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Uma pergunta que não cala

Posted by Marcelo Damato em sábado, 8 dezembro 2007

Por que Romário quer que seu julgamento seja neste ano se em 1º de janeiro muda a legislação antidoping permitindo que se faça um exame capaz de provar que o jogador usou a finasterida apenas para fins capilares?

Por que o STJD aceitou o pedido, também sabendo disso?

Anúncios

8 Respostas to “Uma pergunta que não cala”

  1. Acabei de descobrir seu blog através do blog do Juca. Parabéns. Estarei sempre por aqui.

    Caro José Maria. Obrigado pela visita. Volte sempre. E não deixe de postar suas críticas. É com elas que este blog vai melhorar. Nenhuma pessoa pode achar que sabe mais do que todos os seus leitores

  2. Pedro said

    Otima questao, que nao havia sido levantada ainda!

    Caro Pedro
    . Pode ser que o Romário esteja simplesmente desinformado. E pode não ser. Mas fica a questão. E quem sabe respondê-la?

  3. Wagner Trombim said

    Caro Damato, sou seu leitor desde o início no “Lance!”, gosto muitos das críticas contudentes que vc faz. “RSF a pergunta que não quer calar” de Oliver “Damato” Stone. Com a palavra o STJD. Forte abraço.

    Caro Wagner,
    Agradeço o elogio, mas ele foi muuito demasiado. Se não fosse, o futebol talvez fosse diferente. Vontade não falta. Continue lendo o Lance, que cada tem tem mais colunistas que valem a pena serem lidos. Hoje começou o André Kfouri, com uma bela coluna. E você, como meu leitor, sabe que eu sou ruim de elogiar

  4. Antonio Afif said

    Parabéns pelo blog, Marcelo. Espero que você tenha tomado bastante fôlego para tal empreitada.
    Sucesso e abraços do amigo.

    Caro Afif,
    um grande abraço para você também

  5. euclydes zamperetti fiori said

    De bobo este Romario não tem nada, muito pelo contrario, tambem a nadadora Rebeca, acredito que deveria se propor em fazer exames especificos se nada deve.

    Caro Fiori,
    Este é exatamente o meu ponto. Se está tranquilo, por que aceitar uma absolvição entre aspas? Por que não matar a suspeita de uma vez?

  6. Leandro Carvalho said

    Caro Marcelo:

    Cheguei ao seu blog via blog do Kfouri. Parabéns! Sempre li o seu jeito meio ácido de lidar com os clubes cariocas. Como jornalista (rádio Fluminense AM 540 – Niterói -RJ), creio que o histórico do Romário seria a melhor resposta para sua pergunta, pois, se ele não tem uma conduta de atleta, ao menos sabe-se que ele não fuma, não bebe (refrigerantes, só diet) e que nunca precisou de subterfúgios para realçar sua performance fisica, pois sempre se portou como jogador e não atleta.
    Acredito que ele foi sincero quando disse não necessitar de outra contraprova bem como penso que a antecipação do julgamento seja apenas uma medida para que entre a data do primeiro julgamento e dos recursos se dêem de forma a não macular esse fim de carreira do melhor atacante em todos os tempos do futebol brasileiro, após Pelé.
    você pode pensar que sou fã do Romário, mas gosto do Edmundo e muito mais do Dinamite.
    Creio que, se algo de ruim teve nesse caso do doping, o dedo foi do Eurico e não do Baixinho. Como leitor assíduo de sua coluna, peço que lance algumas campoanhas de “luz” para o Vasco, um gigante adormecido de nosso futebol.
    Clube com estrututra e patrimônio, só que mal gerido.
    Parabéns pelo texto e pela sinceridade. Sucesso. Cordialmente, Leandro Carvalho

    Caro Leandro. Obrigado pelo apoio. De um colega, o que eu espero muitas críticas. São elas que me fazem crescer.
    Minha posição sobre o caso do Romário é a mesma sobre qualquer caso que vá para a Justiça. Deve-se julgar as provas, independentemente de quem seja. O histórico de alguém pode servir como atenuante e como indício, nunca para condenar ou absolver. Deve-se julgar os atos e não as pessoas. A pior das pessoas pode ser inocente num caso. O maior santo pode ser culpado em outro.
    No caso do Romário, existe um teste que pode provar o que ele fez, se tomou a finasterida para a calvície ou para esconder o uso de esteróides. Acontece que esse teste só pode ser levado em consideração se o julgamento for feito a partir de primeiro de janeiro.
    Se Romário receber um salvo-conduto como fizeram com Dodô, sua carreira ficará manchada. Caso tenha sido um engano, o que ele merece é ser inocentado de forma cabal.
    Por último, acho uma injustiça dizer que eu sou ácido com os times do Rio. Eu sou ácido com todos e com quase todo mundo. Ranzinza, provavelmente; mas, injusto, não

  7. Leandro Carvalho said

    E mais um aspecto: até como técnico ele estará suspenso. Em 37 anos de vida, nunca vi uma tamanha submissão de um clube a uma pessoa: Eurico e deste a um atleta: Romário. Somos reféns sem sermos presos. E, cegos de nossa prisão, não lutamos para sair desse marasmo. A hora já até passou, mais mudanças devem ser feitas.
    São Januário é ótimo e até deveria ser palco de clássicos caso o Vasco quisesse (se Parque Antartica, Vila Capanema, e Vila Belmiro podem, pq lá não?), porém acho que lá é pequeno para a imensa torcida do Vasco. Por um Vasco mais Vasco, salve Dinamite 2008!

    Caro Leandro
    , o grande mal que a Constituinte fez ao esporte e ao país foi não considerar a rotatividade no poder como cláusula pétrea da Constituição. Sem alternância no poder, não há democracia. Assim, nenhum órgão em que o presidente é eleito por seus pares, chame-se esse órgão clube, sindicato, país, poderia ter a possibilidade da reeleição indefinida.

    Sobre São Januário, o que acho é que há um grande preconceito contra o Vasco no Rio. E não só por causa do Eurico. É muito mais por ser um clube da Zona Norte. São Januário deveria ser sempre sede de clássicos. O governo que dê segurança no entorno e o clube que faça o mesmo dentro do estádio.

  8. Marílio said

    Cheguei aqui através do Juca Kfouri e, pelo tom do jornalista e dos frequentadores, voltarei. Campos, Mário Sérgio, Maradona, Ben Johnson, Dodô, Marcão, Jacqueline, Rebeca…. TODOS INOCENTES. Sempre teremos um remédio para calvíce, um creme para depilação, um chazinho para celulite, uma disfunção hormonal, etc. Uma coisa é certa, e você já o disse: Os julgamentos devem (deveriam) ser baseados EM PROVAS TÉCNICAS e nada mais. Utilizar a vida pregressa para justificar ou minimizar erros presentes é hipocrisia. Saudações.

    Caro Marílio, Vejo que encontrei alguém que vai me cobrar muita coerência. Seja bem-vindo. Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: