Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

O clássico do bilhão

Posted by Marcelo Damato em quinta-feira, 20 dezembro 2007

Um levantamento mostra o que estará em disputa, além do jogo, no próximo domingo, no clássico entre Real Madrid e Barcelona. É o último grande evento esportivo do ano. O estudo foi feito pelo especialista em gestão de clubes Amir Sommoggi, da Casual Auditores, de São Paulo.

O Real, o clube mais rico do mundo, tem um orçamento de 350,9 milhões de euros (R$ 907,8 milhões). O Barcelona, em segundo, movimenta 290,1 milhões de euros (R$ 750,5 milhões). A soma dos orçamentos dá 641 milhões de euros (R$ 1,658 bilhão).

Os dois clubes não são apenas muito grandes, mas crescem rápido também. O Barcelona teve um crescimento médio de 17,5% ao ano nas últimas seis temporadas, e de 23,9%, se forem consideradas apenas as quatro últimas. O Real Madrid cresceu um pouco menos, 13,5% ao ano. Todos esses números estão muito acima do crescimento da China, o país cuja economia mais cresce no mundo, pelo menos entre as não nanicas.

Hoje, seis em cada 10 mil euros produzidos em toda a Espanha já são gerados apenas por esses dois clubes.

E depois alguns torcedores aqui do Brasil acham que seus clubes provocam inveja.

E antes que alguém venha dizer que a economia da Espanha é muito maior do que a do Brasil, um recente estudo do Banco Mundial, afirma exatamente o contrário.

Anúncios

6 Respostas to “O clássico do bilhão”

  1. Conrado said

    Mas o Euro é bem mais forte que o Real, né, Marcelo? E a União Européia, mais rica que os EUA.

    Caro Conrado, Seja bem-vindo. Primeiro vá com calma, que a coisa não é tão simples. Em primeiro lugar, a Espanha foi um país com uma economia menor do que a do Brasil por muito tempo. E mesmo depois que cresceu, o Campeonato Espanhol continuou sendo uma baba. Até os comecinho dos anos 90, a frase símbolo de “La Liga” no Brasil era “um campeonato tão baba que até o Balthazar foi artilheiro lá”. Aí, os caras começaram a ralar de verdade para fazer o negócio progredir. E ficou grande. A Alemanha tem uma economia muuuuito maior do que a da Espanha, mas o Campeonato Alemão não se desenvolveu tanto. A França idem. A Turquia é um país pobre, mas seus clubes são mais ricos do que os daqui.
    E esse negócio de ganhar em euro é meio relativo, porque quem ganha em euro gasta em euro. Só vale a pena a parte que a pessoa guarda para investir (se investir no Brasil). E o que se guarda para investir não melhora o padrão de vida.
    Voltando ao nosso amigo Banco Mundial, o estudo feito lá mostrou relativizando a economia pelo poder de compra, a do Brasil é bem maior do que a da Espanha. É claro que esse não é o único dado a ser levado em conta, mas tem que ser levado. O mais importante é que os cartolas da Espanha souberam cuidar do negócio. E os do Brasil,…

  2. Marcos Silveira said

    Oi Marcelo,
    Parabéns pelo blog! Em tão pouco tempo já é um dos melhores da Internet!
    E pensar que o Brasil foi o primeiro país a organizar uma liga de clubes, em 1987. Pena que os dirigentes preferiram pensar nos interesses pessoais…
    Abs, Marcos

    Caro Marcos, Obrigado pelo incentivo. Seja bem-vindo. Como digo a todos, se gostou, divulgue!
    Agora aos assuntos: Tem certeza de que o Brasil foi um dos primeiros a organizar ligas de clubes? Acho que não. Já existiam antes em outros lugares. Na Inglaterra é centenária, como os clubes-empresa.
    Além disso, a liga de 1987 tinha um vício insanável. Trouxe embutida dentro dela um golpismo inaceitável. O Botafogo, que terminou o campeonato de 1986 em 31º, entrou. O Guarani, vice-campeão, e o América, quarto colocado, foram deixados de fora. Se há um legado da Copa União, foi que ela enterrou o América, que protestou sozinho, foi banido e nunca se recuperou.

  3. Onofri said

    Pô! Marcelo, você está sendo injusto. Comparar esses dois times em início de prosperidade financeira com os fortes e competentes economicamente clubes brasileiros. Ficarei apenas nos dois que têm as maiores torcidas do país. Mengo e curintia. Que profissionalismo a diretoria de ambos. Os ótimos salários sempre em dia, parcerias honestas e duradouras. Os dois times possuem estádios modernos, maravilhosos e de primeiro mundo – o brasileiro adora essa expressão. E o marketing? Exploram como ninguém a enorme massa torcedora que possuem, sabendo tirar proveito das receitas para contratações e manter o superavit nas contas.
    E você, Marcelo, vem me falar de Real Madrid e Barcelona. Não vou nem mencionar os fracos Robinho, Ronaldinho Gaúcho, Júlio Baptista, Edmilson, Giovanni, Deco, Messi, Nistelroy, Raúl, Tierry Henry, Eto’o, esses peladeiros que aqui nem na segunda divisão seriam titulares.
    Dessa vez você magoou o ego verde-amarelo, e muito. Vou até pensar se continuarei escrevendo esse nefasto espaço…

    Onofri, Você fala de gozação, mas não sabe que até não muitos anos atrás havia muito jornalista que dizia a sério que fora expoentes do calibre de Platini e Baresi, nenhum europeu tinha bola para jogar no Brasil. “Bergkamp? amarela. Cocu? Só joga porque o técnico é holandês. Totti? muito mascarado. Shearer? só joga quando o time joga para ele” E assim ia.

  4. CArlinhos said

    Marcelo, na verdade os Espanhois tem uma renda per capita maior que dos Brasileiros .Exemplo disso é que eles gastam 40 euros por entrada nas arenas de touradas, sua população e de 40 milhões e já pertencem uma frota automotiva maior do que a nossa. A Espanha é um país de recursos escassos e é a economia que mais cresce na europa .Isso não os impedi de ter uma arrecadação anual perto dos 1 trilhão de euros (fechamento de 2007).

    CArlinhos,
    É claro que a renda per capita é maior. A população é menor. Mas, para avaliar o mercado consumidor, é mais confiável comparar a geração de riqueza do país. Mesmo que o Brasil, por ter mais gente, gaste muito mais dinheiro com comida e produtos básicos ( e sobre menos para o futebol), não dá para explicar a brutal diferença entre os clubes. Os clubes brasileiros perdem jogadores para time nanicos da Liga espanhola, não só Real e Barça
    Sobre a frota automotiva, um dado de fazer cair o queixo. No ano 2000, os brasileiros compravam cerca de 2 milhões de carros por ano. Essa era a produção da linha de montagem do carro mais popular da Ford nos EUA (Ford Modelo T), em 1926!!

  5. CArlinhos said

    Recomendo esse artigo: http://www.casualauditores.com.br/Faturamento.pdf

    Boa, CArlinhos, Esse artigo é a versão anterior do estudo do Amir

  6. Esse estudo do banco mundial é o que diz que o Brasil está em sexto no ranking?

    Enfim… Somente penso que o que não da pra comparar é a UEFA com o que temos por aqui (csf, cbf, fpf). O valor agregado que as federações e as competições por lá possuem alavancam qualquer clubinho bem gerido.

    Com tradição então…

    Caro Michael, Tradição não falta por aqui. Falta um projeto de médio prazo e principalmente dirigentes que o executem. E, para ter uma idéia, os clubes grandes de lá reclamam muito mais das federações nacionais e da Uefa do que os daqui fazem com a CBF e Conmebol.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: