Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Luz amarela no São Paulo

Posted by Marcelo Damato em quinta-feira, 10 janeiro 2008

O São Paulo corre o risco de ter uma temporada atribulada por causa do elenco, algo impensável até dias atrás. Com o anúncio da saída de Leandro e, caso se confirme o acerto de Aloisio com um time dos Emirados Árabes, o São Paulo poderá ter que mudar um pouco seus planos.

Vejam o balanço:

Saiu Breno, chegou Juninho.

Saiu Jadílson, na esquerda, chegou Joilson, na direita.

Saiu Leandro, em definitivo, chegou Fábio Santos, até junho.

Sai Aloísio (a confirmar), chegou Adriano, também por seis meses.

É verdade que Jadílson, Leandro e Aloísio, se ficassem, provavelmente seriam reservas.

Mas também é verdade que Breno é melhor do que Juninho, que todos os que saíram estavam ambientados no Morumbi, o que ainda não é o caso dos que chegam, e, principalmente, que os dois principais reforços só ficarão seis meses, incluindo o tempo de adaptação.

E ainda há a possível saída de Tardelli, um pouco menos provável depois do bate-boca com Souza, do Flamengo. E o caso de Souza são-paulino, em namoro platônico com o Grêmio.

Muricy já pediu reforços…

Atualização: O São Paulo pediu a Leandro que espere uns dias antes de fechar com o Verdy. Pois vai estudar uma proposta para tentar segurá-lo. Para Aloisio, em razão da sua idade, o clube está menos animado em tentar segurá-lo.

Anúncios

11 Respostas to “Luz amarela no São Paulo”

  1. Noruega said

    Fala, Marcelo, tudo bem? Olha, eu confio demais nessa diretoria. Parece que a saída do Leandro já estava encaminhada havia um tempo, só não fizeram alarde. Muito provavelmente, a diretoria tem um plano B para ele. A nós, tricolores, só resta agradecer: Leandro é guerreiro e deu o sangue, mas também é mais raça do que bola. Jadílson e Hugo são bons, mas tiveram todas as chances do mundo e não renderam. Não farão falta. O Aloísio eu adoro, apesar de ele não ser matador e, às vezes, me irritar com o cai-cai. Mas ele já tem uma certa idade e se machuca demais. Será, provavelmente, a única chance de ganhar alguns dinheiros com ele. E depois de tudo que ele fez por nós (no segundo jogo meteu aquela bola para o Mineiro), merece fazer o pezinho de meia dele. Se for mesmo, valeu, Chulapa, além de tudo você é muito gente fina! Para o Souza, o mesmo. Só as alfinetadas no tri-rebaixado já valeram. Vamos ver a diretoria nesse teste importante. Ainda confio no mínimo no 5-4-4. Abraço.

    Caro Noruega, É claro que o São Paulo tem boas chances de recompor o elenco, mas foram saídas (ou pelo menos) que não estavam sendo anunciadas. E, numa temporada tão longa e com tantas ambições, é preciso ter bons reservas. Vamos ver como as coisas evoluem.

  2. Bruno said

    O Leandro saiu para onde, que até agora ninguém deu essa notícia???

    Para o Japão, Bruno, mas parece que ainda não está 100% sacramentado. O São Paulo está estudando se fará uma proposta. Se fizer, é preciso saber se ele aceitará

  3. Eu não confiaria na joana do globo.com

    Caro Michael, você viu que o Aloisio foi exatamente com está na nota? O Leandro só não saiu ainda porque a diretoria pedir para fazer uma contraproposta…

  4. Anísio FC said

    O Leandro foi para o Japão…
    E o Aloísio parece que vai para os Emirados Árabes Unidos.
    E Noruega… Teu post parece coisa de quem desdenha e quer comprar…
    Quer dizer que Leandro á mais raça que bola? E isso não foi muito útil não?
    E o Adriano? É mais raça ou bola? Eu acho que o Adriano tem uma carreira média de pouquíssima bola!
    E o Marcelo dizia sobre o excesso de jogadores emprestados pra entrar no lugar dos já estabelecidos e sobre o Breno ser melhor que o Juninho…

  5. Maurício said

    Meu caro Marcelo.
    Sou obrigado a discordar. Acenderam a luz vermelha, quando o Mineiro e logo depois o Josué sairam e o São Paulo sobrou no Brasileirão com 15 pontos à frente. O Leandro é um jogador que eu gostaria no meu time, pela raça e também pelo seu futebol, mas infelizmente na sua posição o São Paulo está bem servido. Vou até vaticinar sai Leandro entra o Souza, ou alguém, que a diretoria cheia de mistério pode tirar da cartola.
    Quanto ao Aloísio gosto de ver ele jogar é um grosso agradável de se ver. Se contunde muito, contunde, mas é um tremendo bom caráter. Acho que ir para o Emirados Arabes é a grande chance dele encerrar com muito dinheiro a sua carreira e ajudar o povão que ele sustenta com amor. Fazer falta? Lógico, principalmente para o Rogério Ceni que tem com ele uma jogada quase mortal. Mas, com o Adriano as suas chances seriam poucas e bola, por bola acho que o Borges, apesar de outro estilo tem mais.
    Quanto ao Jadilson era pedra cantada. Se você fizer um retrospecto da sua carreira irá verificar, que ele nunca jogou em clube grande, fracassou em todos, como deve fracassar no Cruzeiro, não aguenta pressão. Mas te digo saiu Jadilson e chegou não o Joilson, mas o Júnior, o melhor deles e o Richarlison numa eventualidade. Calma Marcelo Damato, pois o São Paulo sempre surpreende.

    Caro Maurício, eu estou calmo. Não me viu acender nenhuma luz vermelha, viu? Mas é preciso estar alerta. E não pode esquecer de que Adriano e Fábio Santos são apenas por seis meses. Colocar um centroavante novo no meio do Brasileiro é sempre um risco. Lembre-se que essa maré boa do São Paulo não vai durar para sempre. Da última vez que acabou, o São Paulo ficou dez anos fora da Libertadores.

  6. Maurício said

    Quanto a sua resposta até concordo, mas faz cinco anos que estamos na crista da onda. Quando vai cair?

    Cinco, Maurício? Na minha conta são três, 2005, 2006 e 2007. Em 2004, estavam escalando a onda. Em 2003 estavam levando caldo. Ou não? E sobre quando vai cair, uso um exemplo do próprio São Paulo. quando em 1994 o São Paulo foi vice da Copa SP, nos pênaltis, chegando à final pelo segundo ano seguido, o Marcio Aranha, então diretor de futebol me disse que achava que o clube tinha encontrado o “moto perpétuo” uma maneira de substituit os jogadores sem deixar o nível cair, graças à qualidade das divisões de base. E você viu o que aconteceu a partir daí.
    Acho que desta vez, por causa do sistema de pontos corridos, que favorece os clubes com melhor estrutura e planejamento, o São Paulo vai ficar por cima por mais tempo. Quanto tempo, eu não sei.

  7. Eduardo said

    Pra mim só veio contratação errada. O Joílson não serve para ser titular e o Juninho também não, parece que os contrataram na base do “não tem tu, vai tu mesmo”.
    Eu gostei do Adriano, mas deram a camisa 10 para ele, que prejudicou ainda mais a relação do Souza com a torcida e caso o Adriano vá bem, em junho quando for embora, é bom que a diretoria saiba que precisará de outro craque, pois a torcida ficará mal acostumada e fará muita pressão.
    Independente se ele jogasse com a 10, com a 27, com 39 ou com a 78, ele venderia camisa do mesmo jeito, não precisava queimar o Souza à toa. Acho que a diretoria deu um tiro no próprio pé, até porque se ele jogasse com a camisa 29, o torcedor teria claramente em sua cabeça que ele ficará lá por apenas 6 meses, se eles acreditam tanto na mística do camisa 10, então que desse a 10 para o Hernanes ou para o Dagoberto, que podem ficar mais tempo por lá.
    Quanto ao Fábio Santos, tenho certeza que ele não veio ganhando pouco, deve ganhar mais que Rycharlisson e Hernanes, então se os dois são titulares absolutos, por que trazer um jogador problemático e caro para ser reserva durante seis meses?
    E o Aloísio, se for embora, que tenha sorte onde jogará, pois aqui ele foi muito injustiçado, assim como o Souza, o Leandro e o Rycharlisson. Nenhum deles é craque, mas são ótimos jogadores para compor elenco, são aqueles jogadores que sempre jogam a mesma coisa, que mantém um nível mediano. A torcida são paulina foi e é muito ingrata com eles, se esqueceram que no passado tiveram o Carlos Miguel, o Adriano, o Sandro Hiroshi… que chegaram aqui como craques, mas nunca jogaram nada.

    Concordo com você, Eduardo, especialmente na análise da camisa 10. Dar a 10 para um cara que vai ficar seis meses é um risco desnecessário. Talvez o Dagoberto pudesse ficar com ela. Aliás, esse negócio de 10 está virando um problema. No Corinthians, enfiaram a 10 nariz adentro do Acosta, que até tinha dado entrevista dizendo que a 25 era seu número da sorte. Eu acho esse negócio de número da sorte uma besteira, mas, se o cara acredita, para quê contrariar? Mas, voltando ao São Paulo, que é o que interessa, acho que o clube está concentrando fichas demais da Libertadores. Se não der certo, e não é fácil dar, dada a concorrência, pode azedar o segundo semestre.

  8. Eduardo said

    Não é difícil mesmo, basta lembrar o Corinthians de Tevez, Mascherano, Nilmar… que tinha tudo pra dar certo. E o problema não é só a 10, tem a 8 que “tradicionalmente” é uma camisa de titular e que foi entregue para o Fábio Santos, que ficará só até junho também. Sei não, eu tô preocupado, não tenho toda a certeza que os outros são paulinos têm.

    Marcelo, a tal mística em torno da camisa 10 é somente por causa do Pelé? Será que se ele usasse a 7, hoje em dia ela seria mais importante ou teria diminuído a importância da camisa 10? Apesar de outras lendas vestirem a 10, como o Maradona, o Zico, O Rivellino.
    Toda camisa sempre teve uma marca, a 10 é a camisa do craque, a 9 do centro-avante goleador, a 7 do atacante rápido, a 5 do volante…, mas hoje acho besteira continuarem indo nessa onda, a 22 do Kaká será inesquecível, assim como a 14 do Cruyff…

    Eduardo, um ponto importante é que a numeração das camisas começou não muito antes do Pelé, nos anos 40, creio, ou pouco tempo antes. Antes disso, as camisas não tinham número. E, por algumas décadas, como não havia substituições, a numeração ia só até 11 (só havia exceção em torneios de seleções que usavam numeração fixa, como a Copa do Mundo).
    Nas Copas, muitos países adotavam critérios “cavalheirísticos” de numeração. A Argentina elencava os jogadores por ordem alfabética do sobrenome. Fillol, campeão mundial de 1978, jogava com a 6. O camisa 1, não e lembro mais o nome, era um jogador de linha. Alonso, atacante era o 2. Ardilles, maestro, era o 3. O primeiro jogador que exeigiu furar a regra foi Maradona em 1982. O time todo respeitava a ordem, mas ele usava a 10.
    Para os clubes, os titulares tiveram de usar de 1 a 11 até pouco tempo atrás (uns 12 anos, por aí). O Cruyff, por exemplo, era 9 no Barcelona. A mística da 14 ficou muito mais no Brasil, porque nós vimos pouco ele jogar por clube.
    Mas, desde que isso mudou, os números baixos estão perdendo um pouco do seu significado. E nunca terão o valor que a 10 teve (e só teve porque um rosário de craques a usou, dezenas). A 22 do Kaká ficará famosa no Kaká e não tanto como número.
    Veja no basquete da NBA. Quem é o 23 do Clippers? E do Boston?

  9. Rubens Leme said

    Pois em 82, o Ardiles era o 1 da Argentina e o Fillol, o 7. E acho que a primeira Copa que usou numeração foi a de 50.

    Outras coisas bizarras: em 94, o 9 da Itália era o Tassotti.

    E tem a famosa história da Copa de 58 que um sueco teve que dar a numeração aos brasileiros e deu a 3 ao Gilmar, a 11 ao Garrincha e a 7 ao Zagallo. E, juram, por sorte, a 10 caiu com ELE.

  10. Anísio FC said

    A Argentina de 78:
    1 Norberto ALONSO 04/01/1953 MF
    2 Osvaldo ARDILES 03/08/1952 MF
    3 Hector BALEY 16/11/1950 GK
    4 Daniel BERTONI 14/03/1955 FW
    5 Ubaldo FILLOL 21/07/1950 GK
    6 Americo GALLEGO 25/04/1955 MF
    7 Luis GALVAN 24/02/1948 DF
    8 Ruben GALVAN 07/04/1952 DF
    9 Rene HOUSEMAN 19/07/1953 FW
    10 Mario KEMPES 15/07/1954 FW
    11 Daniel KILLER 21/12/1949 DF
    12 Omar LARROSA 18/11/1947 MF
    13 Ricardo LA VOLPE 06/02/1952 GK
    14 Leopoldo LUQUE 03/05/1949 FW
    15 Jorge OLGUIN 17/05/1952 DF
    16 Oscar ORTIZ 08/04/1953 FW
    17 Miguel OVIEDO 12/10/1950 MF
    18 Ruben PAGNANINI 31/01/1949 DF
    19 Daniel PASSARELLA 25/05/1953 DF
    20 Alberto TARANTINI 03/12/1955 DF
    21 Daniel VALENCIA 03/10/1955 MF
    22 Ricardo VILLA 18/08/1952 MF

    82:
    1 Osvaldo ARDILES 03/08/1952 MF
    2 Hector BALEY 16/11/1950 GK
    3 Juan BARBAS 23/08/1959 MF
    4 Daniel BERTONI 14/03/1955 FW
    5 Gabriel CALDERON 07/02/1960 FW
    6 Ramon DIAZ 29/08/1959 FW
    7 Ubaldo FILLOL 21/07/1950 GK
    8 Luis GALVAN 24/02/1948 DF
    9 Americo GALLEGO 25/04/1955 MF
    10 Diego MARADONA 30/10/1960 MF
    11 Mario KEMPES 15/07/1954 FW
    12 Patricio HERNANDEZ 16/08/1956 MF
    13 Julio OLARTICOECHEA 18/10/1958 DF
    14 Jorge OLGUIN 17/05/1952 DF
    15 Daniel PASSARELLA 25/05/1953 DF
    16 Nery PUMPIDO 30/07/1957 GK
    17 Santiago SANTAMARIA 22/08/1952 FW
    18 Alberto TARANTINI 03/12/1955 DF
    19 Enzo TROSSERO 23/05/1953 DF
    20 Jorge VALDANO 04/10/1955 FW
    21 Daniel VALENCIA 03/10/1955 FW
    22 Jose VAN TUYNE 13/12/1954 DF

    Tirados do site da FIFA…

    O que eu não gosto é de numeração fixa para o jogador desde o início do campeonato, acho que isso não é regra para todos os campeonatos, acho que tem time que não obedece e fazem isso só pra facilitar a venda de camisas, deveriam ser mais maleáveis…

    Quando ao SPFC…
    Leandro saiu mesmo, li no Lance! que tentam contratar o Éder Luis do Galo, não acho que sejam jogadores parecidos.
    Tardelli também parece que vai sair, provavelmente pro Fla, mas o Santos também tá na parada.
    Já li em algum canto que um volante sai no meio do ano.
    Duvido que o SPFC dê tanta sorte, que Muricy tenha tanto respaldo da diretoria e que a torcida seja menos ouvida que foi ano passado…
    Relembremos que Muricy fez o grande trabalho que fez ano passado graças à diretoria que se fez de surda à choradeira da torcida, pois fosse pela mesma torcida que hoje o elogia e exalta (exalta mesmo?) o Richarlyson e o Aloísio, por ela – a torcida – esses não teriam terminado o ano no SPFC de jeito nenhum…

    Anísio, Em primeiro lugar, obrigado pelas informações. Procurei a numeração e não tinha encontrado. Sobre a reação da torcida. Se a diretoria tivesse ouvido a torcida (e principalmente os conselheiros), até o próprio Muricy tinha rodada. Vamos ver como as coisas andam. O Rycharlisson e o Aloisio, acho que nem teriam começado o ano. A confusão que arrumaram antes da final da Libertadores de 2006 não foi pequena…

  11. Rubens Leme said

    bom, ponto pra mim – acertei meus dois de 82 – e marcelo errou os dois em 78: ardiles era o 2 e fillol o 5. Rubens 2×0… Até aqui o Palmeiras surra os dignos representantes da série B.

    aliás, é esse meu palpite para o dérbi no paulista.

    apostas?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: