Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Bebeto na cadeia?

Posted by Marcelo Damato em sexta-feira, 11 janeiro 2008

O presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, corre o risco de ser preso por não pagamento de dívidas trabalhistas.

Bebeto estava protegido de um mandado de prisão por uma decisão liminar que lhe dava um haebas corpus. O mérito desse pedido foi julgado ontem, pelo pelo no Tribunal Regional do Trabalho do Rio. A sessão foi interrompida no último voto (quando estava 9 a 0 pela cassação da liminar) e a previsão é que a decisão saia no final do mês.

A cobrança foi movida pelo atacante Donizete, um dos heróis da conquista do Campeonato Brasileiro de 1995. Na época, quem era o presidente Carlos Augusto Montenegro. Mas quem gerou a dívida foi Mauro Ney Palmeiro*, presidente do Botafogo na última passagem de Donizete pelo clube. Montenegro, na oportunidade, era o presidente do Conselho Deliberativo, que aprovou as contas mesmo assim. E ironicamente pode ser ele que assuma a presidência caso Bebeto seja de fato preso.

* Texto corrigido

Atualização: Para não ir preso, Bebeto não precisa pagar toda a dívida com Donizete, de cerca de R$ 8 milhões, mas um outro débito, de US$ 300 mil, cerca de R$ 500 mil,à lista de credores trabalhistas do Botafogo, do qual Donizete é membro. As informações são do advogado do ex-jogador, Luiz Roberto Leven Siano.

11 Respostas to “Bebeto na cadeia?”

  1. Rubens Leme said

    Já imaginou se a moda pega no futebol?

    Esses caras seriam os mais impopulares das prisões, Rubens. Imagina os vascaínos com o Eurico…

  2. Rubens Leme said

    e o irônico é que o Bebeto é um cara honesto. Mala, mas honesto.

    Depende de como você qualifica honesto, Rubens. Naquele acordo que o TRT do Rio fez para desafogar os clubes de ações de penhora, em troca os clubes deveriam dar 15% de suas receitas para pagamentos dos débitos trabalhistas julgados. O Flamengo fez direitinho e quitou tudo ou quase. O Botafogo simplesmente passou as receitas para outra pessoa jurídica e deixou os jogadores chupando o dedo. Foram contabilizadas 75 fontes de receitas que o Botafogo estava ocultando da Justiça. Foi um escândalo tão grande que a Justiça mudou o acordo e endureceu com Botafogo e Fluminense.

  3. Maurício said

    O mais justo seria a prisão do presidente que deixou de fazer o pagamento e não do atual presidente do clube. Mas como Rio tudo é possível, pode ser, que o um que falta consiga convencer os demais a mudar os votos já dados e o lado mais fraco perca novamente.

    É muito difícil conseguir, Maurício. O mais provávelé que ele dê tempo ao Bebeto de realizar outra manobra na Justiça para evitar o pagamento (veja atualização do texto). Preso, pelo jeito não vai mesmo.

  4. Onofri said

    Isso é o equivalente a prender o Al Capone por sonegação…

  5. Rubens Leme said

    embora seja o Al Capone errado…

  6. JoaoBittar said

    O fato de ser mais justo levarem o Montenegro do que o Bebeto, unanimidade aqui no blog, eh exatamente o que farah com que o Bebeto NAO vah preso.
    Eu continuo achando que NAO vai acontecer nada.
    OnairevesMoura preso, serah por muito tempo, INFELIZMENTE, uma excecao. Alegre excecao, eh verdade.
    Agora, esse Montenegro….. eh uma barbarie que anda e pesquisa. Que coisa!!!!

  7. Maurício said

    Tudo bem, mas este Siano está em todas, não!!

    Nem tanto, Maurício. Esse cara começou como advogado do Edmundo, há uns quatro anos. Nem era do meio do esporte. Com o sucesso dele, passou a ter ais clientes. E, como eu digo, advogados só arrumam clientes porque alguém aprontou. Eu acho até que esses advogados têm feito um grande bem ao futebol. Ao conseguirem importantes vitórias na Justiça cobrando salários, FGTS, INSS não pagos, obriga os clubes a mudarem seus procedimentos e barrarem diretores que sejam ou muito bagunçados ou muito picaretas. Por volta de 1996, quando os jogadores começaram a ir para a Justiça do Trabalho procurar seus direitos, muitas vezes os clubes nem mandavam advogados nas audiências e os casos eram julgados à revelia.
    Hoje os clubes já se defendem bem, conseguem conter vários pedidos dos jogadores e até têm vencido em alguns casos.
    Qualquer trabalhador, ganhe salário mínimo ou R$ 1 milhão tem os mesmos direitos. Ninguém obriga o clube a aceitar pagar um salário X ou Y. Depois que assinou, Maurício, tem que pagar.

  8. Maurício said

    Vou usar este seu último post, para falar de outro assunto a tal da Copa Peregrino. Vi matéria na Globo, que tal copa foi projetada por um ex-jogador noruegues, que veio para o Brasil e as suas expensas montou um projeto social, que tira a garotada das ruas e das drogas e os introduzem no esporte. então meu caro temos mais que aplaudir.

    Isso eu não sabia, Maurício. Sendo verdade, temos que aplaudir a iniciativa social do sujeito, mas não podemos deixar de criticar a organização do torneio. Não é por que o sujeito tem boas intenções que tudo deve ser perdoado.

  9. Nicolas said

    Durante um bom tempo,o vôlei foi uma ilha de excelência no esporte brasileiro. Nuzman e Bebeto de Freitas eram duas figuras de muita credibilidade. Com o passar dos anos, essa credibilidade foi se esvaindo completamente. Tudo bem, foi outro presidente que gerou a dívida. Mas, por esta razão, deixou de haver a necessidade de quitá-la?

    Sabe, Nicolas, acho a imagem de absoluta lisura do vôlei era muito mais reflexo da falta de informação do público do que da realidade. Por exemplo, quando o Nuzman era presidente da CBV, os mandatos eram de três anos e se permitia apenas uma reeleição. Seis anos no máximo, portanto. Mas ele ficou 20 anos, por meio de manobras jurídicas. Nessa épca, quando os jogadores começaram a receber propostas do exterior, ele inventou uma taxa de transferência de 300 mil dólares, que era mais do que o salário anual dos jogadores fora. E isso iinviabilizava a saída.
    Além disso, quando criou a Superliga de vôlei, destinava metade das receitas para uma empresa organizadora, cujo nome me escapa, e cujo dono era esse mesmo Carlos Roberto Osório, que foi secretário-geral do comitê organizador do Pan.
    Os clubes que disputavam a Superliga não só não tinha direito à venda de placas nem dinheiro da TV como eram obrigados a pôr pelo menos um público mínimo nos ginásios para que as TVs não tivessem que focar lugares vazios. E por aí, vai.

  10. Rubens Leme said

    Bem, Marcelo, desse detalhe eu não sabia e também imagino que Eurico, Mustafá, Dualib, Edmundo Santos e outros já devem ter feito coisas piores e nada aconteceu. Se ele é culpado, que seja punido. Mas que não seja o único.

    Não será, Rubens, o “nosso amigo” Onaireves já está vendo o sol nascer quadrado há quase 70 dias.

  11. Gigio said

    Sobre a Copa Peregrino, acho importante que times de todas as partes do mundo venham ao Rio no período da pré-temporada do campeonato carioca. Esses treinos são chatos, já dizia o Didi “treino é treino”, então esses jogos amistosos você pode colocar em campo o time titular e colocar os novos contratados para fazerem um teste. È importante o torneio porque as equipes que vieram da Noruega mostraram bons jogadores, vi quase todos os jogos e além disso mostraram a capacidade de conseguir bons patrocinadores, tinha mais de 30 faixas no campo, melhor do que o futebol que os noruegueses mostraram foi a capacidade de conseguir patrocínio, o que os times do Rio precisam aprender.

    Caro Gigio, seja bem-vindo ao debate. No que falou, eu concordo 100%. O Brasil tem muito a ganhar com o intercâmbio no futebol. O problema foi a maneira como foi organizada a tabela. Escreva outra vezes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: