Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

A fraude da meia entrada

Posted by Marcelo Damato em segunda-feira, 4 fevereiro 2008

Sempre me chamou a atenção nos jogos do Rio a quantidade meias entradas. Um dos leitores deste blog chegou dizer que superam a metade dos ingressos vendidos. O número é muito alto e suspeitava da antiga prática de fraude nas carteiras de estudante.

Mas a fraude é diferente e feita de forma escancarada. Reproduzo aqui alguns trechos da coluna desta segunda-feira de Eduardo Tironi, editor do Lance no Rio de Janeiro.

“O que o presidente da Suderj provavelmente já não sabe é que os ingressos já estão mais baratos nas bilheterias do Maracanã… Sábado um amigo de São Paulo (…) foi ao clássico entre Vasco e Botafogo.(…) Chegou à fila da bilheteria (…) Quem estava perto deu a dica ‘Compre meia-entrada que ninguém pede carteira de estudante’. Meu amigo desconfiou. Chegou sua vez, entregou os R$ 60 ao bilheteiro, que perguntou ‘não prefere meia?’ Meu amigo desconfiou de novo: ‘E se eu chegar à catraca e tiver de apresentar a carteira de estudante?’ O bilheteiro não desistiu de ‘ajudar’ meu amigo: ‘Só precisa mostrar a carteira aqui. Vendo as duas meias por R$ 40 e estamos conversados’. (…) Nessa R$ 10 foi para algum bolso.”

Anúncios

8 Respostas to “A fraude da meia entrada”

  1. JoaoBittar said

    O que eh a Natureza…., como diria ZeTrindade
    Com esses precos ( 60 reais arquibancada ) eu perguntaria algumas coisas:
    A ) existe algum torcedor que na bilheteria tenha “conseguido”
    pagar o ingresso “cheio” ? Daria um bom depoimento…
    B ) o genio que decidiu quanto ia custar ver o futebol carioca, jah previa essa “tabela especial” ? Ela seria baseada naquela filosofia “A gente finge que cobra, eles fingem que pagam…..”

    A segunda pergunta admite um adendo, Bittar. Será que ele sabe para onde vão os R$ 5 “extras” de cada meia?

  2. JoaoBittar said

    O que eh a Natureza…., como diria ZeTrindade
    Com esses precos ( 60 reais a arquibancada ) eu perguntaria:
    A ) existe algum torcedor que na bilheteria tenha “conseguido”
    pagar o ingresso “cheio” ? Daria um bom depoimento…
    B ) o genio que decidiu quanto ia custar ver o futebol carioca, jah previa essa “tabela especial” ? Ela seria baseada naquela filosofia “A gente finge que cobra, eles fingem que pagam…..” ?
    c) E aquele numero de carteirinhas que dao acesso ao Maracana? A quantas anda aquilo? Jah teve jogo com dez mil pessoas na base da carterinha, nao ouco mais falar. Acabou?
    Com esses precos e Tv ao vivo, que nao eh raro, e pra nao falar de outros problemas, o futebol carioca deve virar espetaculo pra turista estrangeiro. Ou nao?

  3. Bom dia.
    Pois é, quem muito quer, nada tem, dizia vovó, e acho que também a Dona Benta nas saudosas leituras de infância.

    A corrupção e a sonegação são inerentes a quaisquer coisas cobradas em excesso. Como são os impostos tupiniquins.

    Mas o problema aqui, na minha visão, reside na existência da meia entrada.
    Quem paga meia assiste só meio jogo?

    Esse negócio é mais uma enganação dos grandes bananeiros para enganar a patuléia desprovida de caraminguás. Tal e qual o 13o. salário. Ao invés de salários decentes, um cala-a-boca em dezembro e pronto. Ao invés de mais renda para todos, uma meia-entrada para ver o circo e pronto. O pão pode ficar à espera. E por aí vai.

    Não há como o futebol profissional conviver com a meia entrada, pois não há como pagar meio salário para as estrelas ou quaisquer outros jogadores que os compradores de meias entradas querem ver em campo.

    Nem sempre sou radical assim, só às vezes.
    :o)

    Não discordo de você, não, Emerson. Passe escolar para ir e vir da escola eu entendo. É um estímulo à freqüência escolar. Para o cinema, com força, passa. Pode-se dizer que é um incentivo à cultura. Mas no futebol? E que lógica é essa a que permite a quem vive de mesada pagar meia e obriga ao trabalhador comprar inteira? Por fim, se é para ter meia, deveria haver um limite, sei lá, 10% da arquibancada. Quando acabar, acabou. Não é assim para tudo?

  4. A idéia inicial da meia-entrada era muito boa: facilitar o acesso à cultura para estudantes pobres.
    Bom, passei minha infância indo aos cinemas pagando meia-entrada. Sem isso, não iria.
    Cultura?
    hehehehe…

    Embora boa na intenção, como tantas outras, a meia-entrada primou, desde sua criação, por uma máxima do estado e do parlamento brasileiro, em especial: dar benesses com dinheiro alheio. Assim é muito fácil, sem dúvida.

    Voltando à vida real, a limitação em 10, 15, 20% que fosse, já seria um avanço, sem dúvida. Mas quem vai pagar esse ônus político?

    Sem dúvida, isso vai ter que começar por nós, os cidadãos. Não acha, Emerson? Eu também fui muito ao cinema com meia-entrada. Mas na nossa época, não tinha diferença para o futebol.

  5. Rica said

    Tenho que concorda com o Emerson, nunca vi um povo tão fanático por meia entrada igual ao Brasileiro. Pouco tempo atrás uma mulher deu o maior piti na porta de um Teatro exigindo meia entrada, e olha que era uma senhora de enraizados cabelos brancos.

    Porque essa é a meia entrada para idoso, Rica. No Brasil, acima de 65 anos paga meia. E os teatros só não sofrem mais porque muita senhora prefere pagar inteira a mostrar a idade. Mas eu acho mais razoável meia entrada no teatro para idoso do que meia para garoto no futebol. Normalmente os idosos já trabalharam bastante. Mas certamente seria mais correto eles terem “meia entrada” nos serviços de saúde do que no teatro.

  6. Rica said

    Era uma senhorinha de uns quarenta e poucos anos…

    Pô, Rica, “quarenta e poucos”? Que cara de pau…

  7. Rica said

    Marcelo, e ainda chegou em um Peugeot 307 novinho. Oh mulher murrinha…

    Deve ser por isso que tinha esse carro, Rica. De todos os pecados capitais, o que dá mais recompensa sem dúvida é a avareza.

  8. Flavio said

    Esse esquema no Maracanã é conhecido. E de qualquer forma, o amigo do Tironi não tinha que se preocupar: NUNCA me pediram carteira ou comprovante para eu entrar com o ingresso de meia no estádio, em todas as entradas tem uns 20 funcionários da Suderj e nenhum se importa em verificar.
    Na sede do Flamengo na Gávea, onde eu compro os ingressos, eles pedem sempre e não permitem a compra de várias meias com a mesma carteira (ou ao menos eu nunca vi ninguém conseguir), mas não acredito que isso ocorra na maioria dos outros locais.

    E pior que a meia entrada é crianças e idosos entrarem de graça no estádio. Não pagar nada pra ver o jogo é um absurdo.

    Não sei se concordo contigo, Flavio, especialmente com as crianças. Pense o seguinte. Se você facilitar que crianças vão aos jogos, elas irão se acostumar e quando crescerem terão que pagar ingresso. Acho que até uns 10 anos poderia ser de graça ou bem baratinho. E acho que deveria haver vários tipos de promoção – imagine só. depois de ir a mil jogos do seu time, poderá assistir de graça por cinco anos. Com os sistemas informatizados, que permitem cadastrar e cruzar todo tipo de informação, não há limite para criatividade. Se fosse diretor de clube, montaria um mega-sistema de cadastramento de torcedores, em que ficaria registrada toda a sua vida de torcedor. E aí poderia atendê-lo naquilo que ele valorizasse mais – desconto, conforto, personalização, flexibilidade… Sem contar o mailing, que valeria um fortuna imensa. Imagine o que a Nike faria com um cadastro de 300 mil corintianos frequentadores de estádio e quase todos moradores de São Paulo e região.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: