Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Papelão espanhol

Posted by Marcelo Damato em segunda-feira, 4 fevereiro 2008

Torcedores espanhóis no circuito de Barcelona hostilizam o piloto inglês Lewis Hamilton nos treinos da semana passada (foto “The Sun”/Reprodução).

hamilton-racismo.jpg

Por causa dessa palhaçada contra o piloto mulato da McLaren, a FIA já discute o cancelamento dos dois GPs marcados para este ano naquele país. O que é mais impressionante é que uma parcela importante dos ibéricos tem ascendência moura (como eu, aliás). E os mouros ocuparam boa parte da península até uns 700 anos atrás.

O Ministério inglês do Esporte emitiu uma nota de condenação afirmando que não é a primeira vez que esportistas ingleses são hostilizados na Espanha por sua cor de pele.

15 Respostas to “Papelão espanhol”

  1. Orlando said

    Quando se findam os argumentos, apela-se pra ignorância.

    É isso mesmo, Orlando. O racismo, como todas as formas de preconceito, é filho da desinformação. Sempre me lembro do Dick Cheney, que era um homófobo eloqüente até o dia que descobriu que sua filha era lésbica. Hoje é um avô carinhoso de um bebê que tem duas mães, embora geneticamente e legalmente apenas uma seja.

  2. JoaoBittar said

    O racismo na Europa “Civilizada”, eh uma coisa meio incontrolavel. Eh muito dificil assimilar a pluralidade racial em lugares tao secularmente antigos, quanto homogeneos racialmente.
    Obscurantismo e Ignorancia sao a tonica desta tristissima filosofia de vida, pano de fundo de guerras e genocidios crueis. E a solucao nesses casos, infelizmente ou nao, eh a punicao exemplar, excluindo os paises com torcida racista dos eventos internacionais. Como a AfricadoSul, que ficou decadas fora de qualquer disputa esportiva internacional, a Espanha, reincidente no crime, alem dos dois GPs da punicao da FIA deveria ser suspensa em outros esportes ou pelo menos alertada, que em nova manifestacao do genero, fosse excluida das competicoes internacionais. Talvez a maioria pague pela minoria, mas nao pode haver nenhum tipo de tolerancia contra a INtolerancia racial. Espero que a propria Espanha e os espanhois reajam a essa vergonhosa acao e possam desencorajar esses doentes mentais.

    Bittar, é isso aí.

  3. Rubens Leme said

    O racismo é incontrolável e insolúvel. Talvez o Hamilton devesse abrir um processo contra o autódromo, por permitir que essa gente entrasse lá para fazer isso. Aposto que teria apoio, inclusive, dos patrocinadores espanhóis da escuderia.

  4. Lucas F. said

    …aposto que a família do Hamilton sabe soletrar “family”.

  5. Thiago said

    E, como negro, sinto ofendido igual. Ja fui vitíma desta barbárie aqui, por alguém que se dizia branco, e por isso superior. De alguma forma, sinto aliviado, e isto que me incomoda também. O alivio vem da sensação que o problema não é porque o Brasil não é civilizado. Mas ai vem a preocupação, em saber que o problema está no mundo todo. E que solução nenhuma aparece para controlar.

    Thiago, não há como discordar de sua preocupação e de seu inconformismo. Mas acho pelo menos no Brasil se está evoluindo. Quando eu era criança era comum ouvir de donos de cachorros grandes, sempre com sorriso nos lábios que “meu cachorro não pode ver um negro que logo ataca”. Acho que uma diferença do Brasil para outros lugares é que aqui há pouco ódio racial, embora segregação, sim. Ou estou errado?

  6. Maurício said

    Os casos de racismo na Espanha são históricos e frequentes, vide reclamação constante dos jogadores de futebol. Diante dessa nova manifestação, só os GP’s desse ano? Espero que o dinheiro, alias muito dinheiro, não prevaleça sobre a lógica e razão.

  7. Rica said

    Ainda bem que não é torcida do Kimi Rikkonen, os caras andam com fantasias de gorila.

  8. Anísio FC said

    Bem…
    Os espanhóis têm regredido nessa questão há tempos… Vergonhoso! Não seria repressão, multa ou coisa parecida que mudaria a cabeça desses imbecis… Eles é que têm um problema! Que se tratem, que estudem…
    Também sou negro e claro que já sofri discriminações diversas por isso, mas já fui mais agressivo com isso, mas atualmente dou muito pouca importância, já sou um senhor – 50 anos – e acho que por isso ao menos com a polícia – que é a que mais assuta, afinal os caras andam armados – a discriminação já não é tão sensível comigo.
    Quando a discriminação aparece, juro que não dou a mínima importância, se alguém tem problema não sou eu, é o racista!

    Tem toda a razão, Anísio. Mas o racismo precisa ser combatido dia a dia, para que nunca floresça. E para combatê-lo, o melhor caminho é a prevenção, educar bem as crianças para que se tornem bons adultos.

  9. Anísio FC said

    Agora há pouco ouvi o Flávio Gomes a respeito disso e ele disse que a FIA deveria retirar a prova da Espanha.
    Gostei da sugestão, quem sabe assim o governo espanhol não percebe que tem um problema e passe a agir.

    Isso já está sendo comentado lá também, Anísio. E o país tem duas provas. Depois que o Schumacher saiu, o GP da Europa passou para a Espanha (tomara que não tenhamos um campeão de La Paz…)

  10. Emerson said

    A evoluída Europa (sem ironia) dá seguidos exemplos de atraso na questão do racismo. Tirar o GP da Espanha é o mínimo que se espera.

  11. Rubens Leme said

    Próximo convocado: Caio.

  12. Denilson Martins said

    Sem querer ser chato, mas já sendo, posso traçar uma correlação ao preconceito sexista, homofóbico, com o qual uma parcela grande da imprensa denigre o SPFC e sua torcida. O princípio é o mesmo, vamos usar preconceito como xingamento, como ofensa.
    Evidente que não é brincadeira isso aí, mas a imprensa, ávida por 3 pontos de Ibope, abraçou a causa aqui no Brasil, a falta de proteção legal,também ajudou.
    Acho que o mesmo ocorre na Europa, como boa parte tem homogeinidade racial, suas constituições não prevêem o crime do racismo.
    Aqui, somos multiétnicos, então o racismo, mesmo sem lei, se torna inviável, a solução Goebbeliana, foi apalar pro preconceito sexista, do qual o SPFC é a vítima mais achacada.
    Como se não houvesse a mesmíssima proporção de homossexuais em todas as torcidas não é mesmo.

    Mas enquanto a parte da imprensa interessada em vender cerveja pra adolescente, e uma gama de produtos de segunda linha, tratar isso como brincadeira, pra poder causar impacto e gerar a (má) audiência, a questão continuará em um gueto. E ninguém da parte boa da imprensa, tem coragem de se posicionar radicalmente contra isso tudo.

    Depois alguns “jornalistas” ficam hipocritamente, condenando a violência das torcidas, mas em outra ponta incitando ao ódio.

    Por que ninguém da grande imprensa tem coragem de se posicionar contra esta vergonha?

    Denílson, concordo com você em parte, bem em parte. Todo clube carrega um estereótipo. Corintiano é maloqueiro e analfabeto, português é burro, são-paulino era pó-de-arros e depois bâmbi. Sabe como começou essa história de São Paulo ser pó de arroz. Por causa da identificação dessa torcida com a do Flu, clube que nos primórdios obrigava os jogadores negros a passarem pó de arroz no rosto e nos braços para ficarem mais claro. E todos preconceitos, embora errados, nascem sobre uma base real – a torcida do Corinthians sempre foi mais identificada com o pessoal mais pobre e os portugueses costumam levar muitas coisas ao pé da letra, o que gera confusão.
    E mais uma vez: não chame de “imprensa” uma meia dúzia de comentaristas de TV. Onde você vê isso em jornal? E na CBN? E na TV Globo/SportV/ESPN? E nas revistas? E nas assessorias de imprensa? Mais de 99% dos jornalistas não fazem o que você diz. Nem mesmo os repórteres de TV. Só alguns comentaristas de TV aberta e rádio. E nem todos diga-se.
    E, desculpe, mas sua reação também é um pouco preconceituosa. Por que ficar irritado com algo que é evidentemente absurdo. Quem com neurônios leva essa fama a sério? Isso me faz lembrar um bate-boca entre dois repórteres de rádio do Rio, que eu presenciei quando estava na CBF há uns 15 anos. Num certo momento, um começou a ofender o outro “Você é um venal, um vendido, um viado”. E o outro interrompeu “Peraí! Viado, não!”

  13. Anísio FC said

    Forçou bastante o Denilson…
    Esse estereótipo de sãopaulino foi assim colocado por um tipo inventando por Estevan Sangirardi, que criou um sãopaulino afetado, Lord Didu Morumbi, para o programa Show de Rádio, aliás, Sangirardi era sãopaulino.
    Pensemos então quanto de preconceito há com o corintiano (maloqueiro e sofredor) ou com o palmeirense (porco, por sua italianidade), etc…
    Estereótipos bobos, mas tradicionais, eu mesmo sou palmeirense e não há entre meus antepassados nenhum italiano.
    Um dia o sãopaulino médio encarará isso com bom humor e assumirá o bâmbi, assim dessexualizará a questão, tanto quanto os corintianos descaracterizaram o sofrimento e a pobreza e os palmeirenses encararam o porco… Tudo pelo bom humor!

    Concordo contigo, Anísio. O apelido só pega se a vítima reclama. E a maioria dos mascotes de verdade (não aquelas bobagens, que parecem ter sido inventadas numa gincana) começou assim, inclusive o Urubu, do Flamengo.

  14. Denilson Martins said

    Não concordo com os amigos, acho que a parte da imprensa que faz coro a isso tudo é que incomoda os sãopaulinos, pois torcedores são realmente boquirrotos, todos aliás.

    E não vejo igualdade entre o preconceito social e o sexual, são coisa bem diferentes.

    A parte da imprensa que insulta os tricolores, o faz buscando exatamente isso insultar, então, a meu ver, não está em nós os preconceitos, mas em quem se vale disso.

    A maneira que vocês colocam, Anísio e Damato, me parece como se alguém em rede de televisão ou de rádio, chamasse minha mãe de prostituta, e diante da minha reação contrária a tal afirmação, eu na verdade estive mesmo é confirmando que minha mãe fosse uma meretriz.

    Nós sãopaulinos, somos uma torcida enorme, e temos todas as correntes sociais, raciais, sexuais ou religiosas, na exata proporção das demais torcidas, não me parece justo, a imprensa precisar criar estereótipos preconceituosos, pra buscarem audiência.

    Talvez seja a primeira e única vez que um estereótipo tenha vindo da imprensa e não dos torcedores.

    PS: Claro que sei qual parcela da imprensa faz isso Damato, quando falo imprensa, me refiro a eles, afinal, eles são da imprensa não é mesmo?

  15. marcello said

    o ridículo fica maior ainda se notarmos o erro ortográfico na camiseta dos paspalhos. atente para os dois eles em “familly”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: