Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Uma questão de régua

Posted by Marcelo Damato em quinta-feira, 14 fevereiro 2008

O Corinthians afirma que acertou a reforma do contrato de fornecimento de material esportivo com a Nike. Afirma que é o maior contrato do gênero do Brasil. O São Paulo, que está estreando um novo contrato em 2008 com a Reebok, diz a mesma coisa.

Incluindo o material esportivo, o contrato do São Paulo é de R$ 14 milhões por ano. O do Corinthians, nas mesmas condições, é de R$ 12 milhões.

Mas em dinheiro o Corinthians vai receber pouco mais de R$ 10 milhões/ano, segundo um assessor da presidência do clube. Já o São Paulo receberá em torno de R$ 8 milhões/ano.

Mas como o São Paulo vai receber R$ 6 milhões em material esportivo, enquanto o Corinthians receberá menos do que R$ 2 milhões? É que o contrato do São Paulo prevê fornecimento de material esportivo para todos os esportes em todas as categorias.

Mas para saber se a conta fecha ou se os valores das peças estão sobrevalorizados, só vendo o contrato.

29 Respostas to “Uma questão de régua”

  1. Ter um patrocínio maior que o São Paulo virou necessidade física e psíquica para três clubes.

    Freud explica essa necessidade de dizer que o dele é maior que o dos outros.
    Psicologia básica – Vol. I
    :o)

    Não, Emerson. A comparação com o São Paulo quem fez fui eu. O Corinthians disse apenas que era o maior do Brasil. E o São Paulo disse o mesmo. Questão empatada.

  2. Emerson Figueiredo said

    Acho natural que o Corinthians tenha o melhor contrato. Aliás, teria que rivalizar com o Flamengo. São os times de maior penetração em todas as camadas sociais e de maior visibilidade na mídia. Isto é regra de mercado. Nada tem a ver com paixões clubísticas.
    Me desculpe o meu xará, mas quem tenta parecer maior do que times de comprovada superioridade em público é o São Paulo. O que é natural. Afinal, ninguém gosta de ficar para trás.

  3. sendo bem crianção

    sao 14 contra 12, alias Marcelo, nao eram 15? 45 em 3 anos? toda forma isso é facil conferir, esperar o proximo balancete do clube que sai em marco.

    entao, voltando, 14 contra 12 e isto define o resto

    “Mas como o São Paulo vai receber R$ 6 milhões em material esportivo, enquanto o Corinthians receberá menos do que R$ 2 milhões? É que o contrato do São Paulo prevê fornecimento de material esportivo para todos os esportes em todas as categorias.”

    Não, Michael. São 14 mesmo. Quem me confirmou não erra nesse assunto. E a minha última frase contém uma ironia que você não percebeu. Não vejo como o fornecimento de material esportivo de um clube ter o triplo do valor de outro do mesmo tamanho. O que o futebol profissional gasta é quase tanto quanto todo o resto junto. O material do profissional é praticamente descartável. Usou, dá de presente, ou passa para o amador. A quantidade de peças é gigantesca. No futebol amador e especialmente nos demais esportes, é outra história, é tudo contado. Além disso, o São Paulo não tem tanta equipe de outros esportes assim. E do contrato do Corinthians não está dito para o que serve. Não sei a resposta, mas de fato é esquisito.
    Mas o que me parece ser o principal é que o Corinthians vai receber mais dinheiro. E os dois times estarão suficientemente uniformizados.

  4. hehehehehe…

    Eu gosto muito dessas conversas!

    Tocaio (para quem não conhece o interior do Rio Grande e/ou o gauchês mais antigo, é o mesmo que xará), em 2007 a audiência média do São Paulo na Grande SP foi de 8,4 na média de cada jogo.
    A do Corinthians foi de 8,0.

    O IVF – Indice de Visualização do Futebol – acumulado no final do ano apontou o Corinthians 0,2% à frente do São Paulo. Essa vantagem foi conquistada nos últimos 4 jogos do Corinthians, durante a luta contra o rebaixamento, o que atraiu grande assistência.

    :o)

    Na prática, considerando fatores diversos como tamanho de torcida, composição sócio-econômica das torcidas, IPC das praças onde se concentram os torcedores, centimetragem de jornais e revistas, minutos de presença no ar fora dos jogos, audiência dos jogos transmitidos pela TV, claro, as diferenças entre Flamengo, Corinthians e São Paulo não são muito significativas.

    Isto falando em termos técnicos, estritamente.

    Essas conversas, esses debates, são divertidos, no bom sentido da palavra, estimulam a gente a pensar, pesquisar, buscar argumentos, etc.

    Eles também sinalizam a crescente importância do “extracampo” no “dentro-de-campo”. Não que nunca tenha existido, mas hoje essa importância é mais nítida e definitiva, na hora de separar “os meninos dos homens”, como gostam de dizer os hermanos, digo, os brothers do grande norte.

    Isso ajuda a entender porque a Petrobras parou nos 15,7 milhões, a Medial bateu nos 16,5, a LG está nos 16. Explica, também, porque o Santos recebe 10 e o Palmeiras 8,5.

    Que audiência, deu 8,4 para o São Paulo, Emerson? Audiência de TV?
    Outro ponto é que os números do São Paulo estão aumentados neste momento pelos últimos anos de conquistas. Isso faz aumentar os números da torcida e a valorização do clube.
    Sei que parece absurda afirmação sobre a torcida, pois ela é muito estável, mas uma parte dos torcedores só declara sua cor quando o time está bem. A seqüência das pesquisas Lance-Ibope que eu editei deixa isso bem claro.

  5. Catharino said

    Ué!!! Nenhum “jornalista” vai procurar a ata para investigar se isso é verdade. Já fizeram isso com outro time!!!

    Os números são reais, Catharino. A questão é dos detalhes. E vamos atrás deles.

  6. Emerson Figueiredo said

    Confio nos índices que você comenta. Acho que mostram um equilíbrio razoável. Mas vejo o impacto que teve a venda da camisa “Jamais te abandonarei”, lançada pelo Corinthians. Duvido que outro time tivesse resultado semelhante, mesmo em melhor fase.

    Emerson, a camisa vendeu bem justamente porque o time está em má situação. Não há nada que faça uma torcida mais fiel do que o sofrimento. Os corintianos de 40-60 anos sabemos bem disso.

  7. Emerson Figueiredo said

    Há outro detalhe: sou supersticioso. IBF e DataControl quebraram quando patrocinavam o São Paulo. E a TAM teve uma das grandes crises de sua história quando estampava sua marca na camisa do time.

  8. JoaoBittar said

    EmersonGoncalves,

    O que vc. escreveu foi o que eu quis dizer noutro post de comentarios sobre tamanhos de torcida.

    Na pratica, no preto no branco, as torcidas do SP, Corinthians e Flamengo se equivalem, mesmo se do ponto de vista estatistico absoluto e demografico, o Flamengo tenha “35 milhoes” o Timao “25 mi” e por ahi vai.

    Essa onda dos grandes clubes europeus irem ateh a Asia fazer jogos “caca niqueis” se reflete depois no balanco e faz esses times aparecerem na lista da Deloitte. Nao eh a toa.
    Eles tao atras de torcedores novos e que comprem seus produtos, historia, etc.

  9. Figueiredo, eu sei que foi piada, mas isso mostra ingerência da IBF, Data Control e TAM (além de karma, nesta última hehe), o que isso tem a ver com o SPFC? 😄

  10. Neo-colonialismo futebolistico, joão. Meu maior medo =/ Juro, se eu tiver um filho torcedor do barcelona eu deixo de castigo a vida inteira.

  11. JoaoBittar said

    EmersonFigueiredo,
    Pra nao ficar indiferente a sua provocacao:

    Quebrando ou nao, a IBF teve seu nome na camisa do time bicampeao do mundo com amplo e positivo espaco na midia.

    Quanto ao patrocinio da TAM o fundador era saopaulino fanatico e a cia aerea soh cresceu de lah pra pra cah. O time ganhou titulos vestindo camisa com o patrocinio da TAM e usava os avioes da cia. Mais detalhes eu nao conheco.

  12. Emerson Figueiredo said

    Calma, povo! Só citei três fatos históricos. Não emiti nenhum juízo de valor.

  13. Felipe Bohrer said

    O blog do Gilmar Ferreira do Extra aqui do Rio (http://extra.globo.com/blogs/futebol/), diz que o Flamengo está de namoro com a Olympikus… me dá até medo.. Será que a camisa vai ser cheia de Degradê? será que vai ser sem manga? Será que a fonte do número vai ser em Comic Sans? Será que vai ter camisa rosa? Acho esquisito… é uma marca que, pelo menos ultimamente, nao tem muita cara de futebol… Será que eles vão ter bala na agulha para desbancar a Nike? de onde vem tanto dinheiro?

    É realmente uma novidade, Felipe. A Olympikus nunca patrocinou um grande time de futebol, que eu saiba.

  14. pamortera said

    Eu só penso uma coisa:
    Esses valores todos são muito inferiores ao que realmente os times brasileiros merecem!

  15. Filemon said

    Felipe, medo dá mesmo. O mau gosto reina. Agora, a Nike já pisou na bola o suficiente para o Flamengo cair fora, né? Faltar camisa para vender é o fim. Nunca dá para confiar plenamente nas informações da diretoria, mas parece que há interesse também da Adidas/Reebok.

  16. Felipe Bohrer said

    Filemon, é impressionante, era impossível achar camisa do flamengo nos ultimos meses do ano passado… Tomara que seja um fornecedor legal mesmo…. pq do jeito que foram os uniformes do pan do ano passado… dá calafrios

  17. Orlando said

    Deus meu, essas cifras são cada vez mais monstruosas. Parabéns à diretoria do Corinthians, que parece que aprendeu a negociar sua marca. O que eu acho é que o fato de o Corinthians ter conseguido chegar a esses valores vai fazer com que os outros clubes, como o São Paulo, peçam cada vez mais em seus próximos contratos, o que por sua vez fará com que essas cifras subam ainda mais.

  18. Gustavo Oliveira said

    JoãoBittar, você disse que “Na pratica, no preto no branco, as torcidas do SP, Corinthians e Flamengo se equivalem, mesmo se do ponto de vista estatistico absoluto e demografico, o Flamengo tenha “35 milhoes” o Timao “25 mi” e por ahi vai.”
    Não consigo entender essa lógica. De 35 para 25 são 10 milhões de pessoas meu caro, é muita gente. Pegando os dados do datafolha:

    1º Flamengo 17%
    2º Corinthians 12%
    3º São Paulo 8%
    4º Palmeiras e Vasco 6%
    6º Grêmio 4%
    7º Cruzeiro e Inter 3%
    9º Santos, Atlético-MG e Botafogo 2%

    A diferença entre Corinthians e Flamengo é maior que toda a torcida do Gremio. Ou seja segundo sua lógica a torcida do gremio é inexpressiva na prática. Do Flamengo pro São Paulo, então a diferença é a soma das torcidas de Cruzeiro, Inter e Atletico-MG. Ou quase “Palmeiras + Gremio”. Não da pra dizer que elas se equivalem na prática… É forçar muito a barra. O São Paulo “está” bem valorizado no mercado em virtude do sucesso dentro do campo. Mas o potencial de mercado de Flamengo (principalmente) e Corinthians é maior. Negar isso é fechar os olhos para a realidade. E parece que as diretorias desses times finalmente estão conseguindo enxergar essa realidade utilizar isso a seu favor.

  19. Clayton said

    Do GLOBOESPORTE.COM, em São Paulo
    Joanna de Assis

    A fase do São Paulo é boa dentro e fora dos gramados. Além da conquista do pentacampeonato brasileiro, o Tricolor fechou mais um grande negócio. A fornecedora de material esportivo renovou o contrato com o clube e aumentou os rendimentos anuais consideravelmente.

    – Vamos receber mais do que o dobro. Fomos procurados pela Reebok para prorrogar o compromisso, que iria até dezembro de 2008, para o final de 2010 – explica o assessor especial da presidência do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes.

    O acordo inicial, firmado em 2005, previa o valor R$ 21 milhões por três anos de contrato (R$ 7 milhões por ano), cifra que poderia aumentar conforme as vendas de produtos. Hoje, para um contrato de dois anos, a Reebok ofereceu R$ 43 milhões.

    – Colocamos na conta o ano de 2008, já que o contrato foi modificado e passa a valer a partir de janeiro. Nos próximos três anos, vamos ganhar cerca de R$ 14 milhões anuais, fora todos os royalties que iremos receber, já que a porcentagem paga pela empresa é maior do que a oferecida aos times europeus – comemora o cartola.

    Além do aumento dos valores do contrato, a Reebok também se comprometeu a inaugurar pelo menos mais dez lojas licenciadas do São Paulo espalhadas pelo Brasil. A primeira delas, construída no próprio Morumbi, tem faturamento médio superior à loja mais importante da empresa, que fica no Shopping Iguatemi.

    – Estamos muito satisfeitos com esse contrato, que se equipara aos valores dados pelo nosso principal patrocinador, que é a LG – completa Lopes.

  20. Clayton said

    Um das maiores fontes de receitas dos clubes europeus, que é o licenciamento de produtos – e não me refiro à artigos esportivos – com a marca do clube, não é explorado da maneira devida pelas equipes brasileiras. É pífio o valor amealhado anualmente pelos clubes de maior torcida, com licenciamento desses produtos.

    O São Paulo, em 2007, fechou um acordo exclusivo e inédito no futebol sul-americano, de 3,5 anos de duração com a Warner Bros. Consumer Products, divisão da Warner Bros. Coloca o São Paulo ao lado de Milan, Manchester United, Barcelona, com parceria semelhante.

    Prevê um valor em luvas, mais 50% dos lucros, pelo acordo. Isto deve turbinar esta importante fonte de receita, daqui em diante. Já lançaram alguns personagens do Looney Tunes, e foi um sucesso absoluto de vendas, na megaloja Reebok no estádio do Morumbi.

    Estão definindo estratégias para o importante público infantil, e espero que dê resultados.

  21. JoaoBittar said

    Gustavo ,

    vc. mesmo disse que o Corinthians tem potencial, o Flamengo entao…35 milhoes. Mas, por enquanto eh soh potencial mesmo.
    Na hora H, nos numeros frios da economia, atualmente, sao equivalentes aos do SaoPaulo. Os dois.

    Nao estou me referindo SOH a poder aquisitivo, eh claro
    que isto eh importante, mas principalmente, ao interesse e ao grau de paixao que alguem dedica a seu time. E faz esse torcedor, rico, pobre ou remediado , dedicar sua energia
    ( economica , inclusive ) para o clube de sua paixao.

    O Corinthians tem 12 e o S.Paulo 8. OK. Os assinantes de tv a cabo que torcem para esses times sao o mesmo numero. Cada um tem mais ou menos 15% da audiencia. o Fla idem. Os publicos no estadios ( esse ano o SP. foi terceiro e o Timao setimo ) seja em campeonato paulista, brasileiro, libertadores,
    ha decadas que nao refletem estas pesquisas. Ha um equilibrio na realidade. Por uma serie de fatores que nao cabe aqui no papel. E talvez, nao sejamos aptos para entender exatamente.
    Mas essa eh a real.
    Pra te dar um exemplo: Conheci muitos vascainos e ( mais ainda ) flameguistas, viajando pelo Brasil. Os vascainos, inclusive mulheres, conheciam seu time melhor que os flamenguistas. Ou seria: encontrei mais flameguistas desinteressados?
    Essa impressao se reflete nos estadios. A torcida do Fla eh tres vezes maior que a do Vasco no Rio e nao enche tres vezes mais os estadios, nem vende tres vezes mais camisas, nem tem tres vezes mais assinantes torcedores de Tv a cabo.
    Nao tem tres vezes menos consumidores, na pratica, estao muito mais proximos.
    Foi isso que quis mostrar.

  22. Rubens Leme said

    Aliás, essa pesquisa Datafolha tem algo que quase ninguém comentou. SP tem 8%, Palmeiras, 6%. Mas a margem de erro é 2%, ou seja, tecnicamente, estão empatados, assim como Fla pode ter 15 e Corinthians, 14%.

    Embora tenha mexido com números na Folha e no Lance! acho essas coisas bem de bar, sem muita utilidade prática. O que os clubes deveriam fazer é valorizar sua marca e aprender a ter melhores contratos. Qualquer clube da segunda divisão da Inglaterra ou até mesmo Alemanha tem uma saúde financeira superior aos nossos grandes.

    Se fossem sérios, o Brasileiro iria para a Record que já ofereceu 1 bi, enquanto a Globo não chega aos 600 mi… Mas aí aparecem inúmeros favores e toma-lá-da-cá.

    Mas a Record já está “arrecuando os arfes”, Rubens. Já disseram que não vão repetir a proposta de R$ 500 milhões, que foi a única realmente comunicada ao Clube dos 13.

  23. Buenas, vamos lá.

    Marcelo, oficialmente a Record nunca apresentou uma proposta de 500 milhões e, no momento, estão “arrecuando os arfe”, mas por motivos diversos.
    O número mágico 500 não está mais perto, mas tampouco está mais distante.

    João Bittar, tua análise é correta. No frigir dos ovos, nos números que contam para os anunciantes (negrito aqui, por favor, tipografia… hehehe), que são os números de audiência, há, digamos assim, empate técnico.

    E Rubens, da mesma forma que o Palmeiras pode subir para oito, o SP pode subir para dez. Ou ambos descerem, ou, ou, ou…
    jhehehehehehehehe

    Emerson, a Record numa reunião com a cúpula do Clube dos 13 em São Paulo, por volta de abril do ano passado, falou nesses 500 milhões. Na época se especulava em R$ 700 milhões e até R$ 1 bilhão. Foi um diretor da Record e outro do C13 que me disseram que esse número foi falado, embora nunca como proposta oficial, uma vez que o contrato estava longe do fim. Em 2007, a Record tinha interesse em conseguir vários campeonatos e quebrar o monopólio da Globo. Mas dançou porque todos os Estaduais pegaram a sua proposta levaram para a Globo e conseguiram aumento.

  24. Rubens Leme said

    Sim, eu sei que os números são pra cima e pra baixo. Essa questão talvez pudesse ser mais bem esclarecida se ela fosse respondidas nos censos feitos pelo IBGE, que podia perguntar a cada cidadão para que time o cara torce. Mas acontece que os censos estão cada vez mais enrolados.

  25. Nicolas said

    Em pesquisas eleitorais,uma diferença de 2,0% é considerada “empate técnico”.Em se tratando de tamanho de torcida,o critério deve ser o mesmo.A margem de erro,se não me engano,é essa.
    Apenas por curiosidade,gostaria de saber do João Bittar: qual a sua fonte sobre preferências de clubes dos assinantes de TV a cabo?
    Abraço.

    A margem de erro depende da pesquisa, Nicolas. De uma maneira geral, quanto maior a amostra, menor a margem de erro. Esse é um dos problemas das pesquisas de torcidas. Uma pesquisa de torcida deveria ter margem de erro de menos de um ponto percentual. Para isso é preciso uma amostra de umas 100 mil pessoas, o que impraticavelmente caro. Daí, a proposta do Juca Kfouri de incluir uma pergunta sobre torcida no censo.

  26. Essa proposta de incluir torcida no Censo…

    Buenas, passo e voto nulo.

    Dá pra perguntar, também, que geladeira a dona de casa prefere e vender o patrocínio do Censo pra Brastemp.

    Não chega a tanto, Emerson, hehe. O futebol faz parte do patrimônio cultural do país. As geladeiras, que eu saiba, não.

  27. Filemon said

    O tempo passa, o tempo voa, e nossos amigos são-paulinos seguem na árdua missão de tentar provar que Flamengo, Corinthians e São Paulo é mais ou menos a mesma coisa. Pobre Gustavo Oliveira que tem de ler essa ladainha. Eu argumentei em outro post, relacionado ao Flamengo, e as respostas ficaram pelo caminho.
    Mas, enfim, se os fazem felizes acreditar são mais ou menos do tamanho do Mengo, o jeito é tolerar.

  28. Denilson Martins said

    Caro Emerson Figueiredo, O Banco Excel Faliu patrocinando seu time, a HMTF, desistiu porque só teve prejuízos, a Batavo faliu estampando a camisa do Corinthians, o canal do HMTF, a PSN, faliu transmitindo o SCCP, e a MSI, acho que nem preciso dizer né?

    A Batavo faliu, Denílson?? Então o presunto que ando comprando nos últimos anos devia estar vencido, hehehe. Falando sério, o Banco Excel também não faliu. Ele foi formado a partir do espólio do Banco Econômico para acontecer exatamente o que aconteceu: fixar marca e depois ser vendido a um banco maior. O negócio foi por um preço menor porque os gestores de fato não eram do ramo. Sobre a HMTF o maior prejuízo foi justamente o PSN. Eles esperavam comprar muitos direitos, mas só depois que chegaram perceberam que o mercado estava politicamente dominado. Excel, HMTF e MSI eram de fato empresas que estavam se aventurando (usando essa palavra sem juízo de valor) no mercado, mas a Batavo, não.

  29. Denilson Martins said

    A Batavo teve seu controle vendido pra Parmalat, e faliu junto com ela.

    O que existe hoje é uma cooperativa que usa as antigas marcas da Batavo e da Parmalat, mas sem nenhum vínculo com a antiga.

    Mais ou menos como o SPFC fez em 1935.

    O Excel já existia e comprou o Econômico, depois ficou insolvente e foi incomporado por outro banco ( insolvente é o mesmo que falir. ), o HMTF existe como fundo, mas seu departamento de investimentos no futebol, foi fechado. Teve prejuízos absurdos no SCCP.
    É um fato Marcelo a camisa do SCCP não é 100 perto de outras 40, no máximo é 80 perto de umas 77 e outras 55.

    Algumas empresas foram alavancadas pelas camisas que patrocinaram, como a IBF, que até hoje é lembrada pelo seu patrocínio ao SPFC, a Kalunga, que fazia parte de um feudo lá do SCCP. Mas contra má gestão, não tem camisa que salva.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: