Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Divirta-se – 16

Posted by Marcelo Damato em terça-feira, 26 fevereiro 2008

Esse vídeo e a história desse norte-irlandês mostra que o futebol brasileiro e britânico têm mais pontos em comum.

George Best teve uma carreira tão meteórica quanto muitos brasileiros de sua época. Aos 22 anos foi eleito o melhor jogador da Europa. Logo depois começou a se meter em tantos problemas que começou a andar muito em carro de polícia.

Aos 27, abandonou a carreira. Aos 59 estava morto.

E, no vídeo inteiro, há um (talvez, nenhum) chuveirinho.

15 Respostas to “Divirta-se – 16”

  1. Rubens Leme said

    Jogava com 7, 10 ou 11; batia de esquerda ou de direita. Cortava sempre pra dentro. Veloz, inteligente, criativo e irreverente.

    Best não morreu; foi se divertir em outro plano.

    Inesquecível.

  2. Rubens Leme said

    Emocionante documentário em três partes onde Bobby Charlton conta o desastre de Munique em 1958, contando sua vida junto, desde a primeira partida com o time do United e a alegria de fazer parte do time.

    Quantos jogadores hoje podem falar dessa maneira?

    Vídeo 1, Vídeo 2, Vídeo 3

    Bacana, Rubens, acho que todos vão gostar.

  3. Onofri said

    Morreu pobre???

    Caro Onofri, ele não morreu pobre, mas jogou muito dinheiro fora. Tanto é que uma de suas mais célebres frases foi: “gastei muita grana com mulheres, carros e bebidas”, assim como o JoaoBittar cita abaixo.

  4. JoaoBittar said

    Alem de tudo isso que o sintetico e preciso RubensLeme disse acima, acrescentaria algumas das mais inspiradas e bem humoradas da Historia do futebol, ditas por ele:

    a) ” Ele nao bate de esquerda,nao cabeceia, nao rouba a bola de ninguem e faz pouco gol, fora isso tah tudo certo…”
    sobre Beckham

    b)” em 1969 dei um tempo com mulheres e alcool, foram os piores 20 minutos da minha vida…”
    c) Parei de beber, mas soh enquanto durmo.
    d) “Gastei muita grana com birita, gatas e carroes. O resto desperdicei…”
    sobre beber e amar

    Em Belfast virou o nome do aeroporto e as pessoas se divertem ao dizer sobre o filho mais ilustre ( jogador de futebol ) da terra:
    ” Maradona good; Pele better, George Best “

  5. Rubens Leme said

    Perto do final da vida, George disse uma frase memorável que encheu de orgulho os irlandeses: “não foi o melhor de todos os tempos, mas fui melhor que todos os ingleses.”

    Curiosamente, Sir Alex Ferguson confessou que o maior jogador que treinou no Manchester foi outro irlandês, Roy Keane. “Roy e George. Dois talentos selvagens. Como queria tê-los juntos”.

    Mas ia faltar cerveja e mulheres. E nenhum pub inglês acabaria inteiro.

    Rubens, Essa afirmação é realmente surpreendente, para quem treinou Beckham e Cristiano Ronaldo. É bom lembrar que Keane e Best são irlandeses, mas nasceram separados não só no tempo como no espaço, pois um é da Irlanda e outro foi da Irlanda do Norte.

  6. hugo said

    Falar nisso, li não sei onde (acho que na Folha) que o Gascoigne se internou por causa do seu vício em bebidas energéticas (em um dia ele chegou a tomar 50 latinhas!). O alcoolismo, aparentemente, está sob controle.

    Caro Hugo, esta notícia do Gazza também foi veiculada aqui no blog. Dê uma conferida: clique aqui.

  7. Maurício Souza said

    Essa frase dele, “Gastei muita grana com birita, gatas e carroes. O resto desperdicei…” é realmente sensacional!
    E a camisa dos red devils era linda, hein Marcelo? Um abraço!

    Assino embaixo, Maurício Souza. A camisa era linda. E não sei se ficou sabendo, mas no último dia 10, no clássico contra o Manchester City, os “Reds” usaram uma camisa retrô. Prestaram uma homenagem aos jogadores e dirigentes que morreram no acidente aéreo de 1958, em Munique, quando voltavam de jogo em Belgrado.

  8. Rubens leme said

    Nesse vídeo, Charlton fala com paixão de Duncan Edwards que morreu 15 dias após o acidente por causa das inúmeras lesões após a queda. Segundo ele, Duncan era melhor que Bobby Moore e teria roubado o seu posto de capitão e zagueiro da Copa de 66.

    Entrando no Wikipedia e na net, você vê a idolatria que esse rapaz de 22 anos desperta até hoje. Para alguns, ele seria maior do que Pelé se tivesse tido tempo de desenvolver-se.

    Bobby fala extremamente comovido dele, o “maior talento que já vi”.

  9. gonz said

    sensacional

  10. Maurício Souza said

    Eu vi a camisa retrô sim, era linda!
    Mas Marcelo, acho que você cometeu um equívoco similar ao Mascherano quando ele foi apresentado na terra dos Beatles: os “Reds” são o Liverpool, enquanto que os “Red Devils” o Manchester… ou estou enganado?

    Maurício, não está errado chamar o Manchester de “Reds”. Veja o site oficial do Manchester: manutd.com

  11. Maurício Souza said

    Então, não foram os “Red Devils” (Manchester) que jogaram com uma camisa retrô em homenagem ao acidente de Munique? Foi na réplica do meu outro comentário que você disse que os “Reds” (Liverpool) tinham usado tal camisa… pode parecer pouca coisa, mas para os ingleses deve ser uma ofensa… afinal, imagina se eu te chamasse de palmeirense ou você me chamasse de corintiano? Hehehehe!!

    Maurício, consultei o site do Manchester United, disponibilizei o link no comentário anterior e você verá que chamar o Manchester de “Reds” é corriqueiro. É muito diferente de me chamar de palmeirense e te chamar de corintiano. Neste caso, estamos falando de apelidos e não do nome oficial do clube.

  12. Rica said

    É impressionante como os torcedores do Manch. U são apaixonados por esses jogadores:
    Sir Bobby Charlton, George Best, o francês Eric Cantona e Duncan Edwards.

  13. Rubens Leme said

    Bom, foi isso o que ele disse quando Roy Keane se aposentou, Marcelo. Eu sei que cada um é de uma Irlanda distinta, mas no fundo é tudo irlandês né? O irmão caçula de Roy, Robbie, é a estrela do meu Tottenham e o cabecinha mais cabecinha que já vi. Perto dele, Edmundo é o poeta…

    Sim, o Manchester usou a camisa retrô (ou vintage como gostam os sofisticados) num jogo. Não deu muita sorte, pois o time só empatou…

  14. João said

    Viver (e morrer) assim é que é bom. Pra que durar até 70 ou 80 anos? Só ficar lendo jornal e dando milho pra pombos, sem pegar mulher nenhuma.

    Dá para conciliar as duas coisas, João. E dos 59 anos dele, pelo menos os últimos dez foram bem amargos.

  15. João said

    Então tinha que ter morrido 10 anos antes, aos 49. Foi como o Jorginho Guinle disse quando ficou sem grana: tinha se preparado para viver sem trabalhar a vida toda, mas não sabia que viveria ate os 80 anos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: