Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Uma mãozinha para o Vasco

Posted by Marcelo Damato em sábado, 8 março 2008

O Vasco ficou com o caminho livre na Copa do Brasil. A partir da segunda rodada, que começa nesta quarta-feira (17), deverá chegar sem sobressaltos às semifinais.

Depois da primeira rodada sobraram 32 times. De cada grupo de oito times, que farão sete mata-mata – quatro nesta fase, dois na próxima e um nas quartas-final – sai um semifinalista.

No “grupo do Vasco, o último da tabela, os times são (pela ordem dos mata-mata), Vasco, Bragantino, Icasa (CE), Criciúma (SC), Corinthians-AL, Paranavaí (PR), Juventude e Madureira. Dos rivais do Vasco, nenhum é da Série A e só três da B.

Na “chave” 1, há clubes como Corinthians, Fortaleza, Goiás, Grêmio, Coritiba e São Caetano e só dois times fora de A e B

Na “chave” 2, há Botafogo, Portuguesa, Atlético-MG, Náutico e mais quatro que nem da B são.

Na chave 3, há Palmeiras, Sport, Brasiliense, Internacional, Vitória e Paraná e mais dois.

É verdade que no lado do Vasco, três dos clubes mais graduados, Atlético-PR (Série A), ABC e Bahia (B) já caíram, mas Eurico Miranda desta vez não pode reclamar. Pegou uma moleza.

15 Respostas to “Uma mãozinha para o Vasco”

  1. Não consigo dar valor à Copa do Brasil.

    Não enquanto sua conquista valer uma vaga na Libertadores.

    Ou, então, não enquanto ela não for disputada, também, pelos melhores times do Brasil, na teoria e na prática os que disputam a Libertadores e têm, todos eles, plenos, totais direitos a disputar sua presença na Libertadores seguinte.

    Portanto, no que me diz respeito, considero a CB uma competição de segunda linha e não deveria classificar seu vencedor para a Copa Libertadores.

    Obviamente, o regulamento deve ser respeitado e coisa e tal.
    Obviamente, nada tenho contra os times que a disputam e vencem.

    Mas…
    É segunda linha com prêmio de primeira.

  2. EmersonF said

    Copa do Brasil é um torneio democrático. Permite que se dê chances aos times que não teriam lugar na primeira divisão (que acertadamente tem vagas limitadas). Tem tudo para ser um grande torneio. Aliás, como chegou a ser durante os anos 90. O São Paulo foi o primeiro a esnobá-lo, quando estava com Telê na Libertadores. Depois, quando ficou anos foram do torneio sul-americano disputou com vontade mas nunca ganhou (perdeu uma final e foi eliminado outra vez por usar jogador irregular). Por causa disto, a CBF liberou os que estão na Libertadores. Acho que tem que se acertar o calendário e fazer com que todos joguem os dois.

    Obs.: teoricamente, o torneio não tem os melhores. Em 2002, o Corinthians ganhou o Rio-SP, a Copa do Brasil e foi vice no Brasileiro. Era, portanto, um dos melhores ou o melhor naquele ano. Em 2003, o Cruceiro ganhou o Mineiro, a Copa do Brasil e o Brasileiro. Era o melhor do Brasil. O problema da CB é calendário. Se corrigir, dispara.

  3. Betão da Cruz de Malta said

    Marcelo, pelo que acabo de ver do Vasco diante do “potente” Duque de Caxias, o time não vai passar pelo Bragantino não!
    O time do Vasco não trabalha a bola, não existe preocupação de ficar com a posse de bola. As bolas são rifadas!O time rouba a bola e não se organiza verdadeiramente como um time. Cada jogador tenta logo uma jogada vertical e ,evidentemente, até pela falta de qualidade, erra. Fica uma coisa bizarra, um jogo de quem erra mais.
    O jogo Vasco x Duque de Caxias foi de dar pena, uma coisa ridícula, vergonhosa. Dá nojo ver esse mulambada envergando a camisa do Vasco. Fiquei colérico vendo o jogo. E está cada vez mais claro pra mim: o Vasco não tem técnico, não há evolução, pelo contrário.
    Time de futebol pra mim é aquele q fica com a bola, tem posse de bola, vira o jogo até achar um espaço na defesa adversária. O Vasco é o oposto disso, não consegue trocar 3 passes. Não existe um jogador com lucicez pra pedir calma e fazer o time jogar, se arrumar em campo. O VASCO É UM BANDO EM CAMPO, UM TIME DE PELADA.

    Betão, Deve tá feio mesmo. Mas a chance na Copa do Brasil é agora.

  4. JoaoBittar said

    EmersonF,
    acho que o calendario uma coisa contornavel.
    problema mesmo, eh o criterio de classificacao para disputar o torneio.
    Pode-se se dizer sem escandalo nenhum, que o campeao da Copa do Brasil eh o melhor time do Brasil, exceto pelos clubes que estao na Libertadores. Eu acho pouco. Poderia ser melhor.
    Compreendo e concordo com vc. quando se fala do sistema de disputa de uma Copa. Como a FA do ingleses ( esse sabado foi um show ). Muito interessante e justa, se eh que algum campeonato ou copa possa ser considerado justo. Mas a nossa Copa tem esse defeito de isonomia. O que a desvaloriza.

  5. EmersonF said

    João,
    Acho que todos devem participar da Copa do Brasil. Você lembra que quem começou este “boicote” foi o São Paulo de Telê. Agora, deve-se discutir um calendário que faça com que a CB possa ser disputada por todas as equipes.
    É muito simplista dizer que os melhores não a disputam. Em alguns anos, isto ocorre. Em outros não. Com as leis que acabaram com a escravidão do passe, mas exageraram ao criar o paraíso dos empresários, um time que ganha o Brasileiro não é necessariamente o melhor do semestre seguinte.
    Pego o exemplo do São Paulo. Ganhou o Brasileiro com o melhor elenco. Mas as perdas de Breno, Souza, Leandro, entre outros, fez o time cair. Hoje, não podemos considerar o São Paulo o melhor time e nem mesmo o melhor elenco. E o título foi vencido há três meses.

    Emerson,
    o Telê não boicotou nada. Apenas não escalava os melhores jogadores nas primeiras rodadas, punha o time B para ir para o Acre. Naquela época o São Paulo chegou a fazer mais de cem jogos por ano – hoje ninguém chega a 80 e todo mundo reclama. O São Paulo – e o Grêmio também – chegaram a fazer jogos em dias seguidos ou até no mesmo dia – você se lembra que o Juninho (sem o “Paulista” na época) jogou dois jogos em seqüência, quase 90 minutos num e 45 no outro? O Telê começou a fazer o que hoje todo mundo faz e não chama mais a atenção, que é poupar jogadores.
    O problema é que desde aquela época a CBF não deixava datas para a Libertadores. Quando o número de times passou a cinco, a decidiu não mais pôr os times da Libertadores na Copa do Brasil – quando o que deveria ter feito era brigar por um reajuste geral no calendário, fazendo a Sul-Americana e a Libertadores coincidirem. Muitos dizem que essa situação se deve aos grandes times argentinos, que querem jogar ambas, mas eu duvido que tenham tanta força. Acho mais provável que seja fruto da pressão direta dos patrocinadores sobre o Leoz.
    Se na CBF houvesse alguém que dedicasse um pouco de tempo a essa questão, poderia ter encontrado uma solução, por exemplo, esticando a Copa do Brasil ao longo do ano todo, aproveitando outros buracos na tabela. É claro que não seria a melhor solução, pois a melhor é o Ricardo Teixeira usar um pouquinho do poder que tem e resolver isso. Mas aí ele teria que acertar o calendário todo e isso dá trabalho. Os clubes também têm muita culpa, porque, sendo os maiores interessandos, não se mexem.

  6. EmersonF said

    Concordo com vc, Marcelo. A Copa do Brasil é um torneio cujo calendário precisa ser repensado. Mas é uma boa disputa. Eu disse “boicote” entre aspas. Me lembro das lambanças do calendário daquela época. Mas, como vc mesmo disse, a solução para este problema não foi a melhor.

    O que é incrível, Emerson, é que chegar a uma solução melhor não é nada difícil. Veja o ano tem 52 semanas, logo 104 datas. Tire 17 para as férias + pré-temporada (60 dias dá oito semanas e meio), 38 para o Brasileiro, 14 para Libertadores e Sul-Americana, 12 para Copa do Brasil. Isso dá 81. Sobram 23, o tamanho do Paulista. Fechou? Sim e não. Porque há jogos demais. Um clube pode ter que fazer 87 partidas no ano, é muito. Dá para melhorar um pouco. Exemplo: por que não fazer as duas primeiras rodadas da Copa do Brasil com jogos apenas de ida, como acontece em muitos países? Outra sugestão. Por que não fazer os times grandes entrarem só numa fase mais adiantada do Paulista? Os clubes pequenos vão perder receita? Não tem problema. Os clubes grandes cedem uma parte maior dos direito de TV a eles. Os clubes grandes vão perder receita? Não. Porque com menos jogos, podem até fazer uma excursãozinha no fim da pré-temporada e recuperar todo esse dinheiro e muito mais. Não estou dizendo que esta proposta é a solução. Ela foi pensada no tempo exato de escrever esse texto. Mas já é melhor do que está aí. E com pré-temporada maior, bem maior. Pré-temporada maior significa menores riscos de contusão, logo menos dinheiro em contratações, logo mais dinheiro no caixa, o que equivale a ter mais receita.

  7. JoaoBittar said

    Boa discussao esta, EmersonF,

    agora to concordando com vc. O calendario [e o pior problema.
    Vc.Tinha razao. Todos comentarios do Marcelo sao muito pertinentes e me fizeram chegar a mesma conclusao que vc.

    os melhores de ontem ( ontem mesmo…hehehehe) nao sao os melhores de hoje, faz muito sentido. E vc. disse que alguns dos vencedores da Copa, ganharam muito mais naqueles anos, certissimo. Isso tudo quer dizer que nunca vamos saber se realmente o vencedor da CopadoBrasil, seria o mesmo com os melhores do ano passado na disputa.
    Enfim, falta de isonomia me incomoda.
    O Paulista (05 ) e o SantoAndre ( o4 ) nao sao um horror, longe disso, mas nao ganharam nada na vida alem da Copa. Ganhariam com os times da Libertadores na disputa?
    Talvez. Ontem na Inglaterra times menores eliminaram os poderosissimos ManchesterUnited e o Chelsea.
    Mas aqui nunca vamos saber. Por culpa do calendario.
    .

  8. Obrigado, Marcelo, por colocar os pingos nos “is” sobre o suposto “boicote” do São Paulo e de Mestre Telê à CB.

    Quanto ao calendário, creio que à Nissan e à Toyota não interessava nem um pouco os dois torneios simultâneos, isso porque a SA é, nitidamente, uma “segunda divisão”, tal como a Copa da UEFA, e seria ofuscada pela Libertadores. Ou seja, na vida real a Toyota estaria ofuscando a Nissan.

    Agora, porém, com o patrocínio Santander na LA, deixa de haver uma concorrência direta entre patrocinadores e a mudança de calendário pode ficar menos problemática.

    No mais, a pré-temporada precisa ter, no mínimo, 42 dias – seis semanas – e mais os 30 de férias, ou seja, dez semanas, na prática, deixando 42 para as competições, um máximo de 84 datas. Há porém, que preservar o campeão sul-americano que disputa o Mundial e, para isso, precisa de três semanas ou, pelo menos, duas e meia. Mas, duvido que esse campeão venha a ser considerado, logo, o melhor time, invariavelmente, terá seu início de temporada prejudicado, pois está jogando quando todos os outros estão em férias.

    E se nossos times quiserem perder o atual perfil – times paroquianos, marcas paroquianas – e entrarem no mercado global, o calendário tem que mudar, necessariamente, adequando-se ao europeu, já que a vontade do Blatter – adaptar o europeu ao nosso, do hemisfério sul – não será aceita.

  9. EmersonF said

    Emerson,
    O termo “boicote” pode chocar, mas não é descabido. Telê e o São Paulo decidiram menosprezar a CB por causa da Libertadores. Não digo que não tiveram razão, mas dar tratamento secundário ao torneio foi o primeiro golpe sofrido pela CB. Neste caso, peço ajuda ao mestre Houaiss:

    “3 Derivação: por extensão de sentido.
    recusar-se (indivíduo ou coletividade) a participar de (festa, recepção a alguém, evento desportivo etc.) ”

    Mandando o expressinho, o São Paulo deixou claro que não interessava participar da competição. Culpa do calendário. O São Paulo teve razões para fazer isto e não vejo motivos para não encarar abertamento o caráter e os efeitos de tal atitude.
    Tanto que, em outros anos, foi interessante ao clube disputar a CB, e os fracassos foram lamentados pelos são-paulinos.
    Como eu disse, o o João Bittar concordou, não se pode dizer que a CB seja disputada apenas pela segunda categoria do futebol brasileiro. Houve edições que podem dar razão a este argumento. Como houve edições que o desmontam.
    Neste caso, o ideal é se discutir o calendário para fazer com que um torneio de tiro curto, que integra o futebol brasileiro e pode gerar a emoção do mata-mata, não seja descartado.

  10. “…recusar-se (indivíduo ou coletividade) a participar de (festa, recepção a alguém, evento desportivo etc.)”

    Tocaio, o São Paulo não recusou-se, apenas mandou a campo os jogadores de que dispunha.

    Se os 5 ou 6 melhores times não participam, é um torneio de segunda classe. Sorry.

    Sou a favor de uma Copa do Brasil ampliada, com “trocentos” times do país todo, afunilando, afunilando, até chegar ao campeão. A CB é bárbara, sou fã dela, mas jamais aceitarei que o prêmio seja uma vaga na Libertadores, vaga que estará fora do alcance dos 5 ou 6, etc e tal.

    Quebra-se a igualdade formal, teórica, prática, jurídica, esportiva, enfim, quebra-se a igualdade e clubes são privados de um direito básico.

    :o)

  11. Gustavo Oliveira said

    O mais legal do regulamento da Copa do Brasil é que se você quiser dobrar a quantidade de times que dela participam, são só duas datas a mais. Eu acharia legal se todos os times brasileiros que disputam até pelo menos a 3a. divisão estadual o Brasil pudessem participar. Lógicamente que nesse caso teria que haver fazes regionalizadas, e que os clubes de maior expressão só entrassem na disputa quando tivessem 64 times ou no máximo 128. Seria o torneio da democratização total do futebol.

  12. EmersonF said

    Tocaio,
    Dois pontos que defendo:
    1) Não se pode afirmar que os times que disputa a CB não estão entre os melhores. Dei exemplos acima para justificar esta afirmação. Em 2002 e 2003, ganharam times que eram apontados os melhores do país na época -inclusive do que os que disputavam a Libertadores. Citei o exemplo do São Paulo: o melhor disparado até dezembro, e que hoje não justifica esta honraria. Ou seja, estar na Libertadores e apenas na CB não é obrigatoriamente título de melhor ou pior.
    2) Precisa ter calendário, participação de todos os principais times do país e prêmio compensador -a Libertadores, no caso. Acho até que os cinco primeiros do Brasileiro poderiam ganhar um prêmio duplo: participar da Libertadores e entrar em uma fase adiantada da CB, para disputar novamente uma vaga no Sul-Americano.
    Deixemos de lado a discussão semântica do “boicote” -afinal, a lígua pátria nos permite diferentes interpretações, e por isso é riquíssima- e vamos nos ater ao fato de que o São Paulo foi o primeiro time a contestar a participação no torneio -pelo menos, com o time principal. Era a oportunidade de se rediscutir a CB. Mas, infelizmente, isto não ocorreu. O próprio São Paulo, nos anos em que esteve fora da Libertadores, sucumbiu a sua forma de disputa.
    O torneio é bom, emocionante e pode ter futuro. Basta competência no seu planejamento.
    Ademais, o Brasileiro ficou mais justo com os pontos corridos, mas perdeu a emoção dos mata-mata. A Copa do Brasil recupera esta fórmula, hoje restrita à Libertadores.

  13. EmersonF said

    Concordo, Gustavo

  14. Xará, a CB é tudo isso que você falou e o que o Gustavo disse eu também concordo e já tinha até apontado, ela deve ser o mais ampla possível.

    Mas não há como vivermos em sociedade organizada sem um mínimo de formalismo, inclusive jurídico, né?

    Então, para todos os efeitos, os melhores times do Brasil são os primeiros colocados no BR 07.
    No final do ano teremos uma nova fornada de melhores.

    Formal e juridicamente, o melhor time do Brasil até o dia 2 ou 3 de dezembro, é o São Paulo.
    Logo, a CB sem essas equipes…

    Estamos discutindo firulas, entretanto.
    Eu quero a CB, mas quero com todos participando e valendo a vaga na LA.

    Se não for com todos, dê-se outro prêmio e reserve-se a vaga da LA para a disputa do BR.

    A conversa vai, vem, volta, reviravolta e caímos no mesmo buraco profundo: calendário.

  15. Rubens Leme said

    O gozado é que antes de jogava todas as competições juntas. O Palmeiras fez 95 jogos em 1999, chegando às semi da Copa do Brasil, finais do Paulista e Mundial e sendo campeão na Libertadores.

    Essa mudança ocorreu recentemente. Acho que seria bacana tb jogar Copa do Brasil e Libertadores, mas aí precisaria enxugar e muito o regional ou diminuir o Brasileiro. Ou o time teria que ter um elenco de 35 jogadores e aja dinheiro pra tudo isso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: