Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

A Fifa aperta os empresários

Posted by Marcelo Damato em quinta-feira, 13 março 2008

A Fifa baixou várias normas, sob o argumento de aumentar a transparência da transferência de jogadores e na gestão dos clubes. É difícil saber o que vai funcionar de fato.

Transferência de jogadores por meio eletrônico. Acabou o famoso fax. A troca de documentos será coordenada por um sistema na internet.

Combate a fundos de investimento: O clube não pode terceirizar a gestão do departamento de futebol para terceiros. A inspiração dessa regra foi a parceria MSI-Corinthians. Um dos objetivos é combater a lavagem de dinheiro.

Novas regras para agentes de jogadores: os agentes não poderão mais ter parte dos direitos dos jogadores, só podem receber pela representação do atleta. Em vigor desde 1º de janeiro deste ano.

Combate a apostas ilegais: vai monitorar as apostas para detectar se há indício de tentativa de manipulação de resultados. O sistema deve entrar em vigor para Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

Código eleitoral padrão para federações nacionais: a Fifa aprovou um código único para todas as associações nacionais, a fim da dar mais transparência e combater a influência de órgãos oficiais.

Tribunais nacionais para arbitragem: os tribunais mediarão disputas entre os clubes.

Proteção à promoção e rebaixamento de clubes: Não será admitido nenhum sistema de acesso que não o mérito esportivo. Na Espanha um clube da quarta divisão comprou um da segunda para herdar sua vaga.

Licenciamento de clubes pela Fifa: Os clubes terão de ter uma licença para funcionar dentro do mundo do futebol. Os clubes, em teoria, deveriam ser filiados às federações nacionais. Mas a Fifa não tratou do caso brasileiro, com a existência de federações estaduais.

Acordo de apoio e colaboração entre federações nacionais: a Fifa vai estimulr a colaboração formal entre federações nacionais e estimular a participação de órgãos do governo.

12 Respostas to “A Fifa aperta os empresários”

  1. Renan said

    Não custa tentar… tomara que dê certo, mas com certeza vão surgir novos mecanismos escusos que se adaptarão às novas regras.

  2. JoaoBittar said

    Marcelo,

    A coisa tah tao feia que somos obrigados a dar um credito pra dona FIFA. O Mais animador eh o Codigo Eleitoral Padrao nas Federacoes. Vc, tem ideia de como seria?
    Nao acredito, mas seria uma revolucao sensacional, se o tal codigo fosse daqueles muito bons.

    Li no Terra, “Em 2004, um empresário investiu grande quantia de dinheiro em um clube sul-americano e reforçou a equipe com jogadores espetaculares. O dinheiro investido era de origem suspeita e o investimento parou rapidamente. Três anos depois, a equipe foi relegada à segunda divisão”, comentou a entidade, em nota oficial”
    Confere?

  3. Rubens Leme said

    Ficou incompleta a primeira frase: “Transferência de jogadores por meio eletrônico. Acabou o famoso fax. A troca de documentos ser”

    a troca de documentos “ser”?

    Já completei, Rubens. Valeu o toque.

  4. Rubens Leme said

    “Vamos processar o clube por ter um funcionário armado trabalhando. O clube será responsabilizado, e o cara que se cuide, porque se o clube não fizer nada, a gente faz. Eu volto para a cadeia, mas volto por um motivo justo.”

    Jânio Carvalho Santos, presidente da Mancha Alviverde.

    Olha aí o cunhado que vc pediu, Marcelo…

  5. JoaoBittar said

    Um Gentleman esse Janio. Cheio de motivos justos.

    Alias, a declaracao grava para radios de sp nao seria um motivo “justo” pra ele voltar pra cadeia antes de arranjar cois mais grave nao?

  6. Rubens Leme said

    tb acho, João, mas sendo Brasil…

  7. Maurício said

    E depois ainda tem otoridade, que apoia as torcidas organizadas. Mas temos que aplaudir a iniciativa da FIFA, se vai dar certo ou não só o tempo dirá, mas ela está tentando. Mas o chato foi o Blatter ter dado como exemplo o caso Corinthians/MSI.

  8. EmersonF said

    É bom a Fifa dar uma regulamentada. O futebol está virando a farra dos empresários. Foi bom também citar o exemplo do Corinthians. Assim, o mundo poderá testemunhar nosso erro, a queda que ele causou e o processo de recuperação excepcional que o Timão vai protagonizar neste ano.

  9. Renato de Almeida Verde said

    Bom dia a todos,
    Marcelo desculpe fugir um pouco do tópico postado, mas gostaria de abrir um parêntese para um E-MAIL que acabo receber de um determinado colunista de um jornal de 2a linha aqui do RJ. Não citarei nominalmente JORNALISTA e tão pouco o JORNAL. Não vou julgar o conteúdo, isso deixarei para quem o ler e tirar suas próprias conclusões. Vamos a eles:

    1) Ontem dia 12/03/2008 uma matéria foi postada por um colunista de um jornal aqui do RJ e um dos parágrafos dessa matéria referia-se e ao Bebeto e uma suposta manobra para burlar os credores e o fisco. Transcrevo agora na íntegra o referido:

    “No Botafogo, Bebeto de Freitas teve de “criar” uma nova razão social para se ver livre dos credores, firmando mais tarde um acordo com o TRT para não ter suas rendas penhoradas.”

    2) Ontem dia 12/03/2008 Foi de interesse meu, solicitar ao ilustre colunista através de e-mail um melhor esclarecimento, já que o referido parágrafo levantava mais dúvidas do que elucidações. Transcrevo na íntegra e-mail enviado ao co.lunista:
    -Ilmo colunista,
    Transcrevo da matéria com o título acima : “No Botafogo, Bebeto de Freitas teve de “criar” uma nova razão social para se ver livre dos credores, firmando mais tarde um acordo com o TRT para não ter suas rendas penhoradas” o Sr. poderia explicar para nós leitores melhor esse parágrafo? Parece que o Sr. tem conhecimento de causa e gostaríamos muito enteder.

    3) Hoje dia 13/03/2008 Recebo o e-mail de resposta do colunista e transcrevo o comunicado:

    “Pois não, Renato, o que especificamente vc não consegue entender nesta frase”

    4) Hoje dia 13/03/2008 Em contra resposta no mesmo e-mail reenvio com o seguinte comunicado transcrito naq íntegra:

    “Ilmo.Sr.
    Desculpe nossa flagrante falta de conhecimento de causa do assunto, por isso insistimos em melhores esclarecimentos sobre o parágrafo em epígrafe.Já que o mesmo não aborda o referido de forma clara e objetiva sob nossa ótica. Acreditamos que a citação “criação” de nova razão social denota uma insinuação de burlar credores e órgãos de fisco estamos certos? Por favor, seria possível elucidar essas dúvidas que pairam neste parágrafo?”

    Marcelo, sinceramente eu como todos aqueles que leram a materia desse colunista aguardamos ansiosamente uma resposta concreta . O que acabamos ver foi o cara se fingir de desentendido quando solicitado para esclarecer perante a opinião pública aquilo que postou.
    Marcelo, não quero deixá-lo em situação desconfortável com seus colegas de profissão. Mas pergunto: você pode chamar um colunista assim de colega?

  10. JoaoBittar said

    Apoiado EmersonF,

    acho que muito mais que a farra dos empresarios, de gente inescrupolosa que as vezes tambem estah do outro lado do balcao, como esse Dualib ahi, que vcs. coritnhianos estao extirpando da historia do Timao.

  11. Rubens Leme said

    o curioso é que foi a própria Fifa que criou essa corja de empresários credenciados com um exame feito ridículo para esse aprovar ou não novos empresários.

    é um tiro no pé.

  12. Onofri said

    Já viram a taxa que o agente fifa tem que pagar?
    Isso não vai parar nunca…
    E por que o curintia e a msi não poderiam ser vir de exemplo?
    Na verdade, a fifa, tá é com medo da concorrência. Do jeito que esses empresários estão fazendo dinheiro, daqui a pouco eles terão a fifa deles…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: