Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

O vôlei cutuca a onça

Posted by Marcelo Damato em sexta-feira, 14 março 2008

O vôlei entrou na onda da renacionalização dos clubes – entenda-se europeus. A federação internacional baixou normas para dar maior “identidade nacional” aos clubes das principais ligas. A partir da próxima temporada, cada time pode ter em quadra simultaneamente apenas dois jogadores de outros países. Na temporada seguinte, o número de estrangeiros entre os 12 da equipe será limitado a quatro. Mais um ano e o limite vai cair a três.

A regra atinge também os jogadores da comunidade européia e afrontas as leis trabalhistas da região.

“Entendemos as leis européias, mas acreditamos que o esporte não é um problema trabalhista”, afirmou o presidente da FIVB, Ruben Acosta, mexicano.

A medida deve provocar um desemprego em massa de estrangeiros – especialmente aqueles que não jogam nas principais seleções e uma queda salarial geral para todos os atletas, exceto os nacionais.

O departamento da comissão européia que cuida do assunto ainda não se manifestou.

12 Respostas to “O vôlei cutuca a onça”

  1. Jorge Ivison said

    Fala Marcelo,
    sou a favor de medidas deste tipo, pois acredito que além da identificação nacional tem o fato da formação de novos atletas nos países importadores.
    Os grandes importadores de mão-de-obra esportiva vêem uma queda na qualidade de suas seleções nacionais, até o basquete americano passa atualmente por este problema.
    No mais, como torcedor rubro-negro, não gostaria de ver o time do Flamengo com sete ou oito estrangeiros, como acontece em times europeus. Chegando ao extremo, rs, gosto quando temos o máximo de jogadores formados na Gávea.
    Abraços!!

    Caro Jorge, não sou contra nem a favor disso. Sou contra o modo como é feito. O esporte é uma parte do mundo, não um mundo à parte. Se acham que as leis não se aplicam, devem batalhar para mudá-las. Sobre o basquete, acho que a contratação de estrangeiros não é causa, mas consqeüência da queda de qualidade dos jogadores norte-americanos. Se os melhores estivessem lá, não trariam ninguém. Aliás, creio que em todo lugar do mundo os clubes preferem em primeiro lugar seus prata-da-casa (mais baratos e de maior identificação), depois os nacionais e por fim os estrangeiros. Esses só chegam por mérito mesmo.
    O Flamengo só foi buscar o Bruno porque o Diego não dava conta e assim por diante. Mas, se o meu time, pudesse ter o Messi e ou o Cristiano Ronaldo, eu não acharia ruim. Agora, é como diz o Leão, o estrangeiro tem que ser bem melhor do que o nacional, da mesma forma que o contratado tem que ser bem melhor do que o prata-da-casa.

  2. Maurício said

    Demorou, para alguém peitar este absurdo.
    Esporte não é trabalho, diz o mexicano, com toda a razão, em especial os esportes olímpicos, que até pouco tempo atrás nem profissionais eram.
    É um absurdo você ver o time do Arsenal em campo sem nenhum inglês. Todo mundo exalta o campeonato inglês, como o melhor e mais bonito de se assistir esquecendo de que a seleção é um lixo. Você já imaginou o Campeonato Brasileiro de volei, com todos os astros por aqui. TV aberta, patrocinadores, ginásios lotados etc. etc. .

    Maurício
    , eu discordo totalmente de você. Em primeiro lugar esporte é trabalho. Jogadores são atletas profissionais, não são diletantes. Se querem fazer uma lei específica, como disse antes, não sou contra nem a favor, o que não pode é “peitar” a lei. Lei é para respeitar e aposto que esse cara vai se encrencar.
    Seria ótimo ter os jogadores de vôlei aqui, mas a solução não é amarrá-los nos clubes, mas sim desenvolver o esporte a ponto de que paguem o que eles valem. O vôlei brasileiro já teve muitas grandes jogadoras estrangeiros, mas, como a CBV não faz nada para desenvolver os clubes, só pensa na seleção (como futebol, basquete …), a Liga de clubes é um vexame. Acorrentar os jogadores ao Brasil só para que os torcedores possam vê-lo é voltar à época do Circo Máximo.

  3. Onofri said

    Gostei. Isso poderia acontecer no futebor…. já imaginou o Glorioso tendo todos os jogadores de 2002 de volta… eh eh eh ops, menos o André Luís…

    Ter todos os jogadores de volta seria ótimo, Onofri. Mas fazer dessa maneira é um absurdo.

  4. Gustavo Oliveira said

    E o Paulo Almeida, Onofri, ta circulando por ai, deve estar baratinho, quer?

  5. Onofri said

    Epa! me esqueci desse, mas quero acreditar que ele desistiu de chutar bola por aí…
    Falando nisso, onde anda o Pedrinho????

  6. Rubens Leme said

    Além de dar mais chance aos jogadores nacionais, essa medida pode ajudar a combater o racismo que cresce cada vez mais na Europa. Basta ver que o time russo do Zenit pode ser eliminado da Copa da Uefa já que alguns torcedores usaram máscaras da Klux Klux Klan e hostilizaram os jogadores africanos do Marseille.

    Acho que em pouco tempo ela será adotado nos times de futebol e aí o impacto será devastador no futebol mundial.

    Rubens, em que a redução do número de jogadores negros vai reduzir o racismo? Acho que será o contrário. Em menor número, serão alvos mais fáceis.

  7. Rubens Leme said

    É bom lembrarmos que antes da Copa de 2006, Oleg Blokhin, maior artilheiro da antiga URSS e então técnico da Ucrânia deu uma polêmica declaração sobre o que pensa dos estrangeiros no futebol local:

    “Nossos jovens jogadores têm de aprender com gente como Shevchenko, e não com algum Zumba-Bumba que tiraram da árvore e para quem deram duas bananas para jogar o Campeonato Ucraniano”.

    É para se pensar duas vezes antes. E não podemos fechar os incidentes recentes na Espanha com os brasileiros.

    O racismo deveria ser punido com mais intensidade, RUbens. A declaração do Blokhin deveria ser motivo para uma suspensão.

  8. Rubens Leme said

    É para se pensar duas vezes antes de alguém aceitar um contrato por aqueles lados. E não podemos fechar os olhos para os incidentes recentes na Espanha com os brasileiros.

    Agora sim, a frase faz sentido…

  9. Rubens Leme said

    eu não acho que diminuirá o racismo, mas que aplacará durante as partidas. o racismo é incurável, mas a violência decorrente dele pode ser combatida segundo algumas autoridades.

    Eu acho tudo isso lamentável, mas é a ótica européia. estou fazendo uma interpretação mas não concordo em nada.

    sobre o Blokhin há muito pouco a se dizer. era dirigente do Partido Comunista e perseguiu muitos jogadores das repúblicas menores enquanto astro maior da URSS. sempre foi um escroto.

    aliás, viu uma matéria interessante de que os jogadores que se destacam nas partidas das ligas russas e ucranianas ganham envelopes de dinheiro vivo após a partida? Vágner Love confessa que certa vez ganhou um e quando viu tinha 40 mil dólares. deve ser por isso que nunca mais quis sair de lá. Quem gostou isso foi o Diego Rincón ou o Kléber, dias atrás.

    belo bicho, não?

  10. Rubens Leme said

    gostou não, quem contou… dislexia pura

  11. Maurício said

    Meu caro Marcelo, obrigado pelo dialogo. Eu dei como exemplo o volei, pois fica evidente o prejuízo, que esta “importação” indiscriminada de gringos prejudica o país. Tome-se como exemplo a Italia. Até poucos anos atrás era imbatível no masculino. Dai exegerou no seu campeonato nacional e o que aconteceu? Eles sumiram no cenário mundial. Você pega um jogo na ESPN e raramente vê um time com 2 jogadores italianos. O esporte é trabalho, até acredito, que seja, mas a bem da verade, totalmente diferente do trabalho convencional. Jogador de qualquer modalidade esportiva, cobrar, pór exemplo hora extra ou adicional noturno e outros, é um absurdo. Mas sei que isto da discussão pra mais me metro e é bom parar por aqui.

  12. EmersonF said

    A Itália já fez isto no futebol, depois que sofreu uma derrota história na Copa da Inglaterra, em 66, diante da Coréia. Por alguns anos, os estrangeiros foram barrados nos time de lá.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: