Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Archive for the ‘Medicina do esporte’ Category

Matemática sem oxigênio

Posted by Marcelo Damato em sábado, 15 março 2008

A Fifa baixou a ducentésima versão de suas novas exigências para jogos em diferentes altitudes. As regras podem ser resumidas na tabela abaixo

Limite mínimo

Limite máximo

Tempo de adaptação

0 m

2.500 m

0 dia

2.500 m

2.750 m

3 dias

2.750.

3.000 m

7 dias

3.000 m

Sem limite

14 dias

Como qualquer um pode ver, a regra não tem nenhuma lógica. Num intervalo de 250 m o período de adaptação é multiplicado por quase cinco vezes. E depois não aumenta mais. Para a Fifa, a diferença entre jogar a 3.000 m ou no cume do Everest é muito menor do que entre jogar a 2.749 m e a 3.001 m.

Simplesmente não acredito que esse quadro tenha sido criado por um médico, por mais charlatão que seja. Isso é coisa de dirigente, tentando acomodar situações e pressões.

Uma vez li num artigo ácido que o sonho da Fifa era ser uma entidade paraguaia. Havia obviamente uma expressão de preconceito contra o país vizinho. Mas, quanto mais o tempo passa, mais mudo de opinião. Para a Fifa, seria mesmo uma evolução.

 

Posted in Fifa, Medicina do esporte | Etiquetado: | 10 Comments »

A nova maré do São Paulo

Posted by Marcelo Damato em segunda-feira, 10 março 2008

O Lance mostra que em menos de dois meses de futebol dez jogadores do São Paulo se lesionaram. E seis lesões foram musculares.

O fenômeno é um sinal amarelo para o trabalho da comissão técnica. Durante os últimos anos, os profssionais do setor disseram repetidas vezes que o clube estava um nível acima do tradicional no Brasil e a prova era o baixíssimo número de lesões musculares – as demais são frequentemente causadas pela ação do adversário e de prevenção muito mais difícil.

Chegavam a justificar o uso do Reffis por atletas e personalidades de fora porque não havia demanda suficiente dos jogadores da casa. Houve ano em que esse número foi praticamente zero. Em quase nenhum chegou a seis. E 2008 mal começou.

Posted in Medicina do esporte, São Paulo | Etiquetado: | 35 Comments »

Quebraram o Eduardo

Posted by Marcelo Damato em sábado, 23 fevereiro 2008

Eduardo da Silva levou hoje uma entrada criminosa do zagueiro Martin Taylor, do Birmingham City, logo aos 3 minutos de jogo, que foi prontamente expulso.

O brasuco-croata teve de ser atendido durante oito minutos em campo, antes de ser levado para o hospital. A fratura é muito grave. Vai ficar um bom tempo sem jogar. Já está descartada sua participação no restante da temporada e na Eurocopa. Eduardo fez um gol da Croácia sobre a Inglaterra no primeiro turno da fase eliminatória da Euro.  Na última rodada do segundo turno, a Croácia eliminou a Inglaterra ao derrotá-la por 3 a 2 em Wembley. O gol da classificação foi marcado por Petric, que substituiu Eduardo durante o segundo tempo.

A imagem do lance ainda não foi colocada no YouTube. Por enquanto, podemos ver alguns gols dele pelo Arsenal.

Posted in Europa, Medicina do esporte, Violência | Etiquetado: , , | 22 Comments »

O preço da faca

Posted by Marcelo Damato em quarta-feira, 20 fevereiro 2008

Um ex-jogador das categorias de base conseguiu uma indenização de 1,3 milhão de euros da clínica que o tratou.

Aos 18 anos, ele rompeu o menisco e os ligamentos cruzados num jogo. Durante o tratamento,teve uma infecção que afetou seus ligamentos de forma irreversível.

O juiz estimou o dinheiro que ele receberia se tivesse seguido a carreira. O ex-jogador, hoje com 33 anos e cujo nome não foi revelado, tinha pedido inicialmente 3,5 milhões de euros, quase R$9 milhões. O nome do ex-atleta não foi divulgado. Segundo o tribunal, a demora em detectar e tratar a infecção foi um erro médico grave.

Posted in Futebol, Justiça, Medicina do esporte | Etiquetado: | 5 Comments »

Ronaldo recupera-se

Posted by Marcelo Damato em terça-feira, 19 fevereiro 2008

Ronaldo deve ter alta hoje do hospital em que foi operado, dois dias antes do previsto. Sua recuperação da cirurgia de reconstrução do tendão patelar é mais rápida do que a que teve em 2000. Já está sem dor e sem inchaço.

Agora começa a parte mais longa, que é o fortalecimento do local. Mas já se começa a falar que pode durar oito meses, um a menos do que o prazo inicial.

Posted in Medicina do esporte | Etiquetado: | 10 Comments »

A maldição de Dida

Posted by Marcelo Damato em sábado, 16 fevereiro 2008

Dida torceu hoje as costas, enquanto estava no banco de reservas. Alguém se lembra de algum outro jogador que tenha se lesionado no banco?

Posted in Medicina do esporte | Etiquetado: , | 11 Comments »

Apanhado pela boca

Posted by Marcelo Damato em sexta-feira, 15 fevereiro 2008

O médico Bernardino Santi foi demitido hoje do cargo de coordenador do controle antidopagem da CBF em São Paulo. A CBF afirmou explicitamente que a causa de sua demissão foram suas declarações à Folha de que Ronaldo teria sido dopado quando atuava pelo PSV.

Segundo o assessor de imprensa da CBF, Santi não respeitou o momento delicado pelo qual passa Ronaldo. Na própria entrevista, Santi afirmou não ter prova de nada e nem mesmo jamais ter conversado com médicos do PSV. Mesmo assim sustentou que o atacante tomou “substâncias anabolizantes”.

Posted in CBF, Doping, Medicina do esporte | Etiquetado: , | 17 Comments »

De novo, Ronaldo!

Posted by Marcelo Damato em quarta-feira, 13 fevereiro 2008

Ronaldo sofreu hoje uma lesão no joelho, não no direito, pivô do drama de 2000, mas no esquerdo.

Suspeita-se que a gravidade possa ser semelhante. A lesão foi precisamente no tendão patelar.

*Foi confirmado que houve rompimento total do tendão patelar, exatamente a mesma lesão sofrida na Inter. O prazo de recuperação é de nove meses a um ano. Ronaldo fará 32 anos em setembro. A dúvida é se ele voltará a jogar*

Na Inter, ele sofreu primeiro uma lesão parcial nesse tendão do joelho direito, no final de 1999, e depois, em abril de 2000, sofreu um rompimento total. Ficou parado até meados de 2001, quando passou a ser escalado parcimoniosamente.

As coincidências não para por aí. Os dois adversários têm nomes que começam por L (Lazio e Livorno). Em ambas entrou durante a partida e se machucou com poucos minutos em campo. Desta vez foram apenas três.

Naquela época, Ronaldo tinha 24 anos e era o mais famoso jogador de futebol do mundo. Desta vez, tem 31 e luta para se manter jogando. O desafio é muito maior. Mas quem já venceu um pode vencer outro.

Vamos torcer.

* Atualização das 21h30

Posted in Europa, Medicina do esporte | Etiquetado: , | 13 Comments »

Marcos de volta

Posted by Marcelo Damato em quarta-feira, 6 fevereiro 2008

Está confirmado: Luxemburgo decidiu que Marcos volta ao gol depois de nove meses fora e um dia de treino com bola. A volta será contra o Guaratinguetá, líder do Pauliusta e que soma cinco vitórias seguidas. Só perdeu na estréia, para o São Paulo.

Diego Cavalieiri vai para o banco. Vejamos como isso vai terminar

Posted in Estaduais, Medicina do esporte, Palmeiras | Etiquetado: , , , | 21 Comments »

O coração não agüenta

Posted by Marcelo Damato em sábado, 2 fevereiro 2008

Nesta semana o New England Journal of Medicine, uma das principais revistas cientificas nessa área do mundo, divulgou pesquisa mostrando que o risco de problemas cardíacos aumenta bastante em dias de futebol. O pesquisador coletou dados em Munique, uma das principais cidades alemãs, durante a Copa do Mundo de 2006

O resultado é que a incidência de problemas cardíacos (infartos, anginas, arritmias, taquicardias) aumentou 82% (quase dobrou) em mulheres e 226% (mais do que triplicou) em homens . Veja os números:

ataques-cardiacos.jpg

O gráfico mostra o número de episódios de problemas cardíacos por dia em Munique, em três anos diferentes. Os números dos picos se referem aos seguintes jogos da Copa do Mundo: 1: Alemanha x Costa Rica; 2 (1ª fase): Alemanha x Polônia; 3: Alemanha x Equador; 4: Alemanha x Suécia (oitavas); 5: Alemanha x Argentina (quartas); 6: Alemanha x Itália (semifinal), 7: Alemanha x Portugal (disputa do terceiro lugar), 8: Itália x França (final).

Posted in Copa, Futebol, Medicina do esporte | Etiquetado: , | 2 Comments »

Bolívia x Bolívia

Posted by Marcelo Damato em terça-feira, 29 janeiro 2008

Os mais novos inimigos dos jogos em cidades de grande altitude são os… bolivianos.

Os clubes que atuam na parte mais baixa do país, a maioria localizados nas províncias mais ricas, mais  próximas do Brasil e que fazem mais oposição ao presidente Evo Morales, querem mudar o regulamento do Campeonato Boliviano. Alegam que jogar em La Paz é muito desgastante;

Propõem dois grupos, o das alturas e das “baixuras’. Só haveria cruzamento nas finais. Os autores da idéia alegam que possuem jogadores melhores e só não vencem por causa da altitude. Na Libertadores as três equipes bolivianas são de La Paz e arredores.

A própria seleção boliviana está pensando em mudar de sede para as eliminatórias. Muitos jogadores passam mal em La Paz e essa é apontada com uma das causas da má campanha nos jogos em casa pelo torneio.

Acho que Morales vai dizer que isso é coisa da oposição

Posted in Copa, Medicina do esporte | Etiquetado: | 20 Comments »

Irmãos pelo destino

Posted by Marcelo Damato em segunda-feira, 28 janeiro 2008

Nilmar, do Inter, e Ronaldo, do Milan, se lesionaram. Mais uma vez. Nos últimos anos têm passado mais tempo em tratamento do que jogando.

Um sofre com o desequlíbrio causado pela hipertrofia muscular. O outro, aparentemente por ser franzino.

Dois caminhos e uma sina. O destino será o mesmo?

Posted in Futebol, Medicina do esporte | Etiquetado: , | 4 Comments »

O tumor era maligno

Posted by Marcelo Damato em terça-feira, 22 janeiro 2008

Em entrevista ao site da revista Época, o médico Fernando Kim disse que o tumor extraído do pivô Nenê, do Denver Nuggets, era maligno.

Localizado num testículo, o tumir tinha pouco mais de 1 cm e era pouco agressivo. Segundo o médico, Nenê ficará dois meses em recuperação.

Posted in Basquete, Medicina do esporte | Etiquetado: , | 7 Comments »

Imagem é tudo

Posted by Marcelo Damato em terça-feira, 8 janeiro 2008

O Corinthians vai passar a utilizar equipamentos que o São Paulo já tem. Eles consistem basicamente em medidores de um tipo de creatina, uma substância do organismo que indica o nível de desgaste dos músculos, e equipamentos que medem o ritmo e a freqüência cardíaca em muito exercícios, para que o preparador possa controlar a intensidade deles.

Quando chegaram ao São Paulo, os equipamentos tiveram pouca repercussão na mídia. As poucas notícias trataram o fato como mais um sinal da modernidade tricolor.

Mas, no Corinthians, especialmente por causa do episódio Zelão-Fábio Ferreira – sobre o qual, aliás, nunca vi uma prova, apenas uma faixa com acusações -, os exames viraram “antinoitadas”.

Nem adiantou o preparador físico Flávio Trevisan negar que a ação fosse para medir álcool, nem dizer que já fazia isso no Grêmio como rotina. Quem tem fama que se vire com ela. Pois há sempre jornalistas que, entre o fato insípido e a versão saborosa, ficam com a segunda.

O melhor, sempre, é evitar criar fama.

Posted in Corinthians, Medicina do esporte, São Paulo | Etiquetado: , | 9 Comments »

Santos se engasga com Filé

Posted by Marcelo Damato em domingo, 6 janeiro 2008

No debate-boca entre Luxemburgo e Leão sobre a infra-estrutura santista, surgiu uma informação grave: o fisiterapeuta Roque Petroni, o Filé, carregou consigo as fichas dos jogadores santistas. Como Luxemburgo não negou isso, deve ser verdade.

Em primeiro lugar, a atitude de Filé mostra que ele nunca se portou como membro da comissão técnica do Santos, mas como prestador de serviço. Não se consideraca parte de um time, mas alguém agindo por conta própria.

Mesmo assim, Filé jamais poderia ter ficado com as fichas. Elas não lhes pertenciam. Pelas normas do CRM, as informações médicas pertencem ao paciente e no máximo também ao seu empregador.

Num hospital, jamais seria permitido que um médico ao mudar de emprego carregasse os prontuários dos pacientes. E não importa que Filé seja fisioterapeuta e não médico. A questão é a mesma.

Se Filé fornecer qualquer tipo de informação médica que interfira na decisão de contratação de um jogador estará cometendo um grave delito, pois essa informação está protegida por sigilo.

Posted in Medicina do esporte, Santos | Etiquetado: , | 14 Comments »

Sob pressão, São Paulo segura Rosan

Posted by Marcelo Damato em sexta-feira, 28 dezembro 2007

O Sâo Paulo já tinha concordado com a saída do fisioterapeuta Luis Rosan, chefe do Reffis e membro da comissão técnica da seleção brasileira. Ele iria voltar a viver em Santos supostamente para cuidar de problemas particulares surgidos recentemente.

Mas quando tornou-se pública a notícia de que ele iria para o Santos FC, com a missão de dar ao Cepraf a mesma reputação do Reffis, a repercussão e a pressão de alguns tricolores fez a diretoria mudar de atitude.

Deu a Rosan novas condições de trabalho e ele decidiu ficar. Isso mostra, por um lado, a agilidade da diretoria, e por outro que ela não se sente tão segura assim no topo do futebol brasileiro.

E, principalmente que no São Paulo não tem essa de que ninguém é imprescindível. Rosan é.

Posted in Medicina do esporte, São Paulo | Etiquetado: , | 5 Comments »

Reffis perde sua “alma”

Posted by Marcelo Damato em sexta-feira, 28 dezembro 2007

O fisioterapeuta Luis Rosan, chefe do Reffis, o centro de reabilitação e fisioterapia do São Paulo, que tanto contribuiu para melhorar a imagem do clube no Brasil e no exterior, deixou o clube e foi para o Santos.

Natural da cidade, Rosan, que também trabalha na seleção, diz que voltou por motivos particulares.

Rosan pretende fazer do Cepraf, do Santos, um centro de tanto prestígio quanto o Reffis.

Jão não era sem tempo de algum clube aprender com a experiência do São Paulo. O que não quer dizer que será fácil repeti-la.

O São Paulo, que prepara a construção de um segundo Reffis, maior e voltado também a clientes extrafutebol em Cotia, na Grande São Paulo, perde com a saída de Rosan. Mas o projeto não sofre ameaça nenhuma.

Posted in Medicina do esporte, Santos, São Paulo, Seleção | Etiquetado: | 9 Comments »