Além do Jogo

O blog do Marcelo Damato

Posts Tagged ‘Morte’

Guerra na Argentina

Posted by Marcelo Damato em domingo, 16 março 2008

Foi morto no sábado (15) mais um torcedor no futebol argentino. Emanuel Alvarez, 21, foi assassinado durante uma emboscada de torcedores rivais, contra a torcida do Vélez Sarsfield.

Álvarez estava num dos 40 ônibus da torcida do Vélez, que se dirigiam ao estádio do San Lorenzo, o Nuevo Gasómetro, quando foram emboscados perto da sede de outro time de Buenos Aires, o Huracán. Álvarez levou um tiro na cabeça. Foi levado ao hospital, onde chegou morto. O autor do tiro ainda não foi identificado.

Ao saber da partida, torcedores do Vélez no estádio exigiriam o adiamento da partida. Ameaçaram invadir o campo. A polícia não deu garantias de segurança e o árbitro Hector Baldassi suspendeu a partida.

Há duas versões para a autoria dos disparos. O primeiro é que os tiros partiram da sede do Huracán, conhecida como La Quemita. A segunda é que foram disparados por um homem com a camisa do San Lorenzo, que estava na carona de um carro branco que passou ao lado dos ônibus. Pelo ângulo da trajetória da bala, esse ponto deverá ser esclarecido.O responsável pela segurança nos estádios da Argentina, o ex-árbitro Javier Castrilli (sim, aquele mesmo), tentou suspender a rodada, mas a AFA pressionou o governo e conseguiu mantê-la.

O episódio reacendeu as rusgas entre Castrilli e os árbitros do país. O árbitro da partida, Hector Baldassi, responsabilizou Castrilli pelo incidente.

Ainda durante a carreira, acusou os colegas de protegerem os times grandes nos jogos contra os pequenos. Deixou a arbitragem por vontade própria em 1998, aos 41 anos – no mesmo ano em que apitou o polêmico Corinthians x Portuguesa -, por causa da quantidade de inimigos que colecionou ao cobrar lisura nas arbitagens.

Por causa da fama de rigoroso e incorruptível – o que contrasta muito com sua reputação no Brasil – foi nomeado para o governo cerca de dois anos depois de se aposentar. Tem se mantido no cargo desde antes da posse de Nestor Kirchner. No governo, Castrilli tem cobrado rigor contra a violência. Ele acusa os clubes de lavarem as mãos para o problema. Por isso, defende a suspensão do futebol, até que a situação se normalize.

Esta é a 224ª morte no futebol argentino, a 16ª em três anos. Todos os jornais argentinos estão dando o caso com muito destaque.

ole.jpg

Posted in América do Sul, torcida, Violência | Etiquetado: , , , | 2 Comments »

A morte de Badri

Posted by Marcelo Damato em quarta-feira, 13 fevereiro 2008

A polícia suspeita de assassinato na morte de Arkadi “Badri” Patarkatsishvili, parceiro de Kia Joorabchian. Ele foi encontrado morto na noite de terça-feira, em sua casa em Londres. Os primeiros exames indicam infarto.

Para quem leu o livro “O Laboratório dos Venenos – a indpustria dos assassinatos políticos, de Lenin a Putin” (Nova Fronteira, 2007), é impossível não pensar em execução.

O livro, do jornalista e escritor Arkadi Vaksberg, descreve dezenas de assassinatos com os mais variados venenos, que por não terem sua composição conhecida, são indectáveis e sempre o laudo do legista é: infarto.

Badri era o homem mais rico da Geórgia. Foi uma das pessoas que se tornaram bilionárias do dia para a noite na época das privatizações na Rússia e outras ex-repúblicas soviéticas. Dava-se bem com a CIA, de quem diz-se que conseguiu o dinheiro para comprar sua estatal.

No fim do ano passado, foi candidato a presidente. Mas era odiado pelos georgianos e teve uma votação inexpressiva. Talvez mais do que no poder, sua candidatura visasse a proteger seu bem maior. Mas isso são só especulações.

Para o Corinthians, é uma pessoa a menos a ligá-lo com esse período tão sombrio de seu passado.

Posted in Corinthians | Etiquetado: , | 6 Comments »

Morte em Interlagos

Posted by Marcelo Damato em segunda-feira, 10 dezembro 2007

Quando se vê uma morte como a de ontem em Interlagos, a primeira pergunta que vem à cabeça é se ela poderia ter sido evitada. Os carros são de uma fragilidade impressionante, de estrutura tubular semelhante aos carros das primeiras décadas da Fórmula 1. Mas, do jeito que foi a batida, Sperafico só teria escapado se estivesse num carro-forte. Pegou bem na porta dele.

A questão se volta ao autódromo. A pista é linda, mas seu traçado é muito apertado. Há muitos pontos sem área de escape. Em vários trechos deveria ser tratada, do ponto de vista da segurança, como um oval.

Agora, devem melhorar a segurança da pista. Nada como uma tragédia para fazer o pessoal se mexer…

Posted in Automobilismo | Etiquetado: | 5 Comments »